Na tarde da última sexta-feira (14), a Prefeitura de Ponta Grossa protocolou o Projeto de Lei que prevê o repasse de R$ 1,7 milhão para a Viação Campos Gerais, referente aos 18 dias em que o transporte coletivo ficou paralisado por decreto, entre 18 de março e 4 de abril. A confirmação de que a Prefeitura também é responsável pelo pagamentos dos colaboradores durante período foi decidida em uma ação pela Justiça no mês de abril.

O Projeto de Lei foi protocolado em regime de urgência e pede a autorização da Câmara Municipal de Vereadores para o pagamento da indenização. Caso aprovado em duas votações, retornará ao Executivo para sanção e depósito judicial do valor na sequência. O projeto de lei, porém, não entrou na ordem do dia da sessão de amanhã, segunda-feira (17), e deve tramitar pelas comissões, o que pode levar até 15 dias.

Clique para ler a Ordem do Dia de 17/05/2021

No final da tarde de sexta-feira, 14, após dúvidas sobre como funcionaria o transporte coletivo em Ponta Grossa devido ao atraso no pagamento dos salários referentes à abril, o Sintropas, que representa a categoria, confirmou que a frota rodaria em 50% no final de semana. A partir desta segunda-feira, 17, 70% dos ônibus retornam à atividade no município. “Desta maneira, a Viação Campos Gerais poderá arrecadar e garantir o cartão alimentação e o salário do mês de maio, em junho. Se os pagamentos atrasados não forem efetuados no máximo até a próxima sexta feira (21), a greve retornará com 100% de adesão. Com esta decisão, a diretoria do Sintropas sinaliza aos usuários do transporte de Ponta Grossa a sua preocupação com a superlotação. Também enfatiza que não há intenção de prejudicar ninguém”, disse o Sindicato.

informações\imagem