Na tarde deste domingo (31), as ruas de São Paulo (SP) foram tomadas por torcedores dos clubes Corinthians, Palmeiras, São Paulo e Santos, que fizeram campanha pela democracia e contra o que chamam de “fascismo”. Seguindo a tendência, em Ponta Grossa alguns torcedores do Operário Ferroviário Esporte Clube (OFEC) também lançaram, nas redes sociais, uma campanha antifascismo.

Sem qualquer ligação com o clube ou com a torcida organizada Trem Fantasma, o Coletivo Dino Coli (CDC) divulgou mensagens contrárias ao fascismo, racismo, e discriminação sexual e de classe. Composto por torcedores do OFEC, o grupo demonstrou apoio às manifestações de domingo e falou sobre o papel do esporte na política.

“Entendemos que um clube de futebol deve, sim, ser apartidário, mas ele, por natureza, já é um ente político. O Coletivo Dino Colli também é apartidário, mas tem membros filiados a diversos partidos e também membros sem nenhuma filiação”, esclareceu o coletivo em postagem no Twitter.

“Tudo é política”

Uma torcedora publicou no domingo, em seu perfil no Facebook, que “tudo na vida é política”, inclusive no caso daqueles que preferem não emitir opiniões. “Futebol é política. Não é o uso do escudo para defender posições políticas. É o uso do escudo para dizer que fascismo, racismo e qualquer outro tipo de violência que denigra a vida de outro ser humano não tem vez em nenhum lugar. O Operário é um clube de todos, e não de um grupinho seleto e preconceituoso”, afirmou.

No mesmo dia, outra torcedora questionou: “Está incomodado com as torcidas antifascistas? Jura? Eu não! Não sou fascista!”

Direção do clube

A direção do OFEC comunica, por meio de sua assessoria de imprensa, que não vai se manifestar sobre o caso e destaca que se trata de uma ação realizada por torcedores.

Em seu perfil no Twitter, o clube afirmou, nesta segunda-feira (1), que é contra “qualquer tipo de preconceito” e que “busca, por meio do esporte, uma sociedade mais justa para todos”. “O Operário foi o primeiro clube do estado a aceitar negros no elenco e, desde o seu início, é símbolo de luta contra a discriminação. Nós temos muito orgulho do significado das nossas cores e da nossa origem”, diz uma das postagens.

Confira o post original do clube ponta-grossense:

Operário Ferroviário (de ?)

@OFECoficial

O Operário Ferroviário foi o primeiro clube do estado a aceitar negros no elenco e, desde seu início, é símbolo de luta contra a discriminação. Nós temos muito orgulho do significado das nossas cores e da nossa origem.

View image on Twitter
35 people are talking about this

Para saber mais sobre o CDC, acesse o perfil do coletivo no Twitter clicando aqui.

Como tudo começou

Os protestos tiveram início em 25 de maio último, nos Estados Unidos, por conta da prisão e da morte do ex-segurança negro George Floyd, de 40 anos, em Minneapolis. Floyd ficou inconsciente após ser imobilizado por um policial branco e foi levado ao hospital, mas, ao chegar lá, foi declarado morto. No mesmo dia, manifestantes tomaram as ruas do país, dando início a uma campanha contra o racismo que repercutiria em outros países e que incluiria novos temas, como o fascismo.

Por Matheus Fanchin | Imagem: Reprodução / Facebook