O Sicredi segue como uma das instituições financeiras do Brasil que mais libera crédito para o agronegócio, e no ciclo 2020/2021 a instituição financeira cooperativa reafirma a parceria histórica que tem com os produtores rurais brasileiros.

Neste ano, o Plano Safra veio com algumas novidades: As taxas foram reduzidas em até dois pontos percentuais. Para a agricultura familiar são taxas que variam de 2,75% e 4% a.a., para o médio produtor taxa fixa de 5% a.a. e a linha para os grandes produtores também baixou para 6% a.a. Além da redução das taxas, tivemos um aumento na disponibilidade de recursos.

Para investimentos em inovação, tecnologia e sustentabilidade da atividade, o Sicredi também irá disponibilizar recursos nas linhas de BNDES.

Lançado pelo governo federal no último dia 17, o plano continuará beneficiando principalmente os pequenos e médios produtores. O total de recursos liberados pela união para o PRONAF será de R$33 bilhões, um incremento de 5,7% em relação ao ciclo 2019/2020. Já o PRONAMP recebe R$33,12 bilhões de reais, incremento de 25,1%.

Outros números significativos são a ampliação de recursos destinados ao Inovagro (33,3%) e para o Moderinfra (43,4%). Estes programas beneficiarão o financiamento de estações meteorológicas e o financiamento para aquisição de equipamentos de monitoramento. Também se destaca o financiamento para aquisição de cotas de reserva ambiental. O programa ABC Ambiental tem, este ano, a menor taxa de juros da agricultura empresarial do plano safra (4,5% a.a.).

O valor liberado para contratações de seguro rural também aumentou: agora é de R$1,3 bilhão contra R$955 milhões no último ciclo. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) estima que em todo Brasil serão contratadas 298 mil apólices.

Diante dos números, o Sicredi projeta bons valores para este ano. Isso porque no primeiro semestre do plano de 2019/20 o sistema, a nível nacional, disponibilizou R$12 bilhões em mais de 131 mil operações de crédito rural para os associados. O volume foi o maior valor liberado entre as instituições financeiras privadas entre julho a dezembro de 2019, segundo dados do Banco Central (BC).  O crescimento nos valores demonstra que o agro segue sendo um dos motores da economia brasileira, e nos Campos Gerais não é diferente: até maio de 2020, a Sicredi Campos Gerais PR/SP havia liberado R$631,5 milhões em crédito na sua área de atuação para os produtores. É mais do que o triplo liberado em 2015/16 (R$203 milhões).

Segundo Marcio Zwierewicz, diretor executivo da cooperativa, a projeção para este ano é de R$762 milhões. “Mesmo com um novo cenário de taxa de juros superior à taxa Selic, estamos projetando um novo crescimento, seja em número de produtores atendidos, seja em valores.”, afirma. Os associados do segmento agro representam cerca de 40% da carteira de crédito da cooperativa, considerando as linhas oficiais.

Popke Ferdinand Van Der Vinne, presidente da cooperativa, destaca: “trata-se de um setor de grande importância para a nossa área de atuação. Regionalmente eles contribuem muito para a elevação do PIB e para o desenvolvimento da economia, por isso o Sicredi trabalha para fortalecer cada vez mais o agronegócio”.

Para o agro, o Sicredi oferece linhas de custeio, industrialização, comercialização, de investimentos e a CPR (Cédula de Produto Rural). “É importante ressaltar que, por sermos cooperativa, os nossos resultados são reinvestidos na própria região, fomentando assim novos negócios e novos investimentos. Concentrando as operações conosco, o produtor está fortalecendo os municípios nos quais estamos inseridos”, ressalta Rafael Furuzawa, gerente de desenvolvimento de negócios da cooperativa.

informações\foto