O Sebrae e o Consulado Geral do Brasil em Barcelona querem construir uma parceria para ampliar acordos bilaterais e abrir novos mercados para as empresas brasileiras e da região da Catalunha. O presidente do Sebrae, Décio Lima, e o diretor-técnico da instituição, Bruno Quick, estiveram reunidos, nesta quinta-feira (9), com o embaixador Pedro Henrique Borio, cônsul-geral do Brasil em Barcelona. No encontro, estavam presentes também o presidente da Frente Nacional das Micros e Pequenas Empresas, Helder Salomão; a vice-líder do governo na Câmara dos Deputados, deputada federal Ana Paula Lima; além de representantes do Conselho Deliberativo Nacional e de unidades estaduais do Sebrae.
O presidente Décio Lima (esq.) durante a reunião com o cônsul Pedro Borio (dir.). Crédito: Oriol Roset Brun.

O embaixador Pedro Borio indicou a indústria do turismo espanhola como primeiro setor com o qual o Sebrae poderia buscar maior aproximação. “Esse é um segmento que, apesar de suas óbvias características transversais na economia, ainda é subutilizado no Brasil. Barcelona tem hoje uma concentração incomum de grandes empresas de turismo e hospitalidade, que compete com cidades como Paris e Nova Iorque”, diz Pedro Borio, cônsul-geral do Brasil em Barcelona.

Outra janela de oportunidades, segundo o embaixador, é a inovação e tecnologia: “Uma empresa que está desenvolvendo soluções escaláveis encontra grandes vantagens no Brasil, com sua população de mais de 200 milhões de pessoas”. Pedro Borio acredita que o Sebrae e o Consulado Geral de Barcelona podem trabalhar juntos na identificação de demandas de empresas dos dois países na construção de parcerias e pontes comerciais.

Por sua vez, o presidente do Sebrae, Décio Lima, destacou a importância do resgate da imagem do Brasil no mercado internacional e dos possíveis mercados que se abrem para o país neste momento. “Vamos construir uma agenda para potencializar os resultados que a economia brasileira alcançou em um espaço tão curto de tempo. Já ultrapassamos as expectativas do PIB feitas pelo FMI, superamos a marca de 1,6 milhão de novos empregos, alcançamos o maior superávit da balança comercial da história e devemos ter uma safra recorde”, comentou.

Segundo Lima, a visita técnica do Sebrae à Espanha tem o objetivo de abrir novos mercados para os pequenos negócios, que foram os maiores responsáveis pelo saldo de empregos, e sustentam parte expressiva da nossa economia. “Estamos cumprindo uma agenda robusta, buscando entender o que a Espanha tem a oferecer ao Brasil e em quais segmentos podemos ampliar a presença das pequenas empresas”, explicou o presidente do Sebrae. “Nós temos tudo para dar um salto extraordinário de qualidade”, completa.

O deputado e presidente da Frente Nacional das Micros e Pequenas Empresas, Helder Salomão, ressaltou que as atenções do mundo estão voltadas para o Brasil, graças aos números expressivos alcançados pela economia do país. “O mundo voltou a olhar para o Brasil com outros olhos. A aprovação da Reforma Tributária no Senado comprova isso. O momento atual talvez seja a maior oportunidade que o Brasil já viveu”, avaliou.

Foto: Oriol Roset Brun

da Agência Sebrae