A rainha Elizabeth II testou positivo para a covid-19 no fim de semana, mas continua a trabalhar no Castelo de Windsor. De acordo com a casa real, a rainha apresentou “sintomas leves”. “Leves” são também as tarefas que a monarca britânica insiste em manter no cotidiano.

Aos 95 anos, a rainha foi infectada pelo SARS-CoV-2 e apresenta “sintomas leves de constipação”.

Em volta de Elizabeth II, “o ambiente no Castelo de Windsor é de cautela mas não de alarme”, disse a especialista em assuntos da coroa Daniela Relph. Relph, acrescentando que “há uma sensação de que está tudo o mais normal possível”.

Ela mantém as leituras de jornais diários, mantendo o cotidiano com “tarefas leves”, de acordo com a imprensa britânica.

Por não ter sido afastada das obrigações reais, a rainha inclui nas “tarefas leves” a leitura de documentos de ministros do governo do Reino Unido e representantes da Commonwealth (Comunidade das Nações), enviados diariamente ao Castelo de Windsor, para a monarca aprovar e assinar, quando necessário.

Não estão agendados compromissos públicos durante esta semana, é é provável que quaisquer videoconferências programadas tenham sido adiadas.

A rainha recebeu a primeira dose da vacina anticovid em janeiro de 2021. Acredita-se que tenha recebido todas as doses de reforço estabelecidas pelas autoridades médicas.

A equipe médica está vigilante até porque Elizabeth II se apresenta “mais magra e frágil do que no ano passado”, afirmou Daniela Relph.

Depois de celebrar os 70 anos no trono inglês, ela completa 96 anos em abril.

da Agência Brasil