Na próxima segunda-feira (1), a Prefeitura Municipal de Ponta Grossa (PMPG) lança o selo ‘Made in PG’. O objetivo do projeto é identificar e valorizar aquilo que é produzido no município para que os consumidores possam optar por produtos que geram empregos e renda em Ponta Grossa durante o período da pandemia do novo coronavírus.

De acordo com Iran Taques, assessor Especial de Relações Públicas da PMPG e idealizador do projeto, a proposta vem ao encontro do programa ‘Made in Paraná, elaborado pelo Governo do Estado. “Pensando nessa proposta do estado, resolvemos que Ponta Grossa também deveria ter isso, porque o objetivo agora é fazer a economia circular internamente”, explica.

Taques acrescenta que o sucesso do programa depende do apoio e participação da população. “O principal foco do programa é que o consumidor perceba que adquirindo um produto de Ponta Grossa ele está gerando emprego, ou pelo menos mantendo o emprego, e ajudando a economia daquela empresa”, enfatiza.

Como funciona

Os produtos serão identificados através de um selo fornecido pela PMPG que poderá ser incluído no rótulo original. A ação visa valorizar bens industrializados ou manufaturados, incentivando o consumo, proporcionando o aumento da produção e, como consequência, a oferta de emprego e renda à população.

Como participar

As empresas que desejam participar do programa ‘Made in PG’ deverão fazer o cadastro através do site da PMPG www.pontagrossa.pr.gov.br. Os produtos aprovados receberão autorização para o download da marca e poderão incluir o selo no rótulo dos seus produtos seguindo as orientações do manual de aplicação. As empresas também receberão um certificado, que deverá ser impresso, para comprovar que fazem parte do projeto.

Além disso, expositores, supermercadistas, lojas de departamentos e grandes magazines também terão acesso ao selo para colocar em suas áreas de venda e facilitar a rápida identificação dos produtos.

Fiscalização

Os supermercados deverão informar à PMPG a existência de produtos identificados com o selo ‘Made in PG’ que, eventualmente, não possuam notas fiscais emitidas na cidade. Em caso de denúncia, a PMPG poderá exigir a nota fiscal do produto para averiguação.

Imagem: Agência Estadual de Notícias