Na manhã desta segunda-feira (16), o portal D’Ponta News entrevistou com exclusividade o prefeito eleito de Tibagi, Artur Ricardo Nolte, o Butina (PSC) e o vice-prefeito eleito Jorge Cardoso (PTB).

Com 100% das urnas apuradas, Butina obteve 5.461 votos, o equivalente a 50,94%. Em seguida, aparecem Rildo (MDB) com 45,76% dos votos e Pedro Machado (PRTB) com 3,29% dos votos válidos.

“Tibagi é a nossa terra e o que nós temos está lá. Nós queremos uma administração diferente voltada para o povo”, afirma Butina. Ele reforça ainda a necessidade de renovação no poder público para entender os reais anseios da população.

“Tibagi, por ser uma cidade pequena, busca muito a quantidade e a qualidade do emprego, principalmente para os nossos jovens”, relata. Ele acrescenta que muitos jovens acabam abandonando o município por falta de oportunidades. “Nós temos que lutar pela vinda da indústria em maior escala para Tibagi. Além disso, nós entendemos que para que os jovens possam ocupar as funções que nós temos na cidade, nós temos que qualificar ele e dar oportunidades”, enfatiza.

Butina destaca ainda vocação e a importância da atividade agrícola para o município. “Nós temos mais de 800 pequenas propriedades, se nós viabilizarmos em um ano capacitação para 400 delas, geraríamos dois empregos por propriedade e isso praticamente supriria a demanda de vagas e trabalhos que nós precisamos na área rural.

Ele reafirma ainda a necessidade de linhas de crédito e financiamento junto ao Governo Federal e Estadual para a manutenção das estradas rurais. “A saúde passa pelas estradas rurais, a educação passa por elas e o transporte da nossa safra também”, diz.

O vice-prefeito eleito, Jorge Cardoso, revela ainda a intenção de profissionalizar o Carnaval de rua em Tibagi. “Nós queremos que o cidadão que vá a Tibagi seja aquele turista que leva resultado financeiro para a cidade. Nós queremos famílias curtindo o Carnaval da cidade”, diz.

Campanha diferente e inovadora

De acordo com Butina, a campanha foi diferente em razão das restrições impostas pela pandemia da COVID-19. “Tibagi, como é uma cidade do interior, é uma campanha muito mais casa a casa. Nós caminhamos bastante, mas teve também a inovação das lives, com a comunicação direta nos lares”, conta.

Sem reeleição

Ambos são categóricos em afirmar que não devem concorrer à reeleição e devem concentrar o trabalho nos quatro anos de governo.

informações\imagem