A Polícia Federal cumpriu na manhã desta terça-feira (23) oito mandados de busca e apreensão, expedidos pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes, nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro e Ceará. As ações ocorrem no âmbito de inquérito policial em tramitação no STF.

De acordo com a Band News, os mandados ocorrem contra empresários que defenderam um golpe de Estado, por meio de mensagens em grupo de WhatsApp, caso o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ganhe as eleições. Entre os alvos da operação estariam o bolsonarista Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, Marco Aurélio Raimundo (Mormaii), José Koury (Barra World Shopping), Ivan Wrobel (Construtora W3), André Tissot (Grupo Sierra), Meyer Nirgri (Tecnisa), José Isaac Peres (rede de shoppings Multiplan) e Afrânio Barreira (Coco Bambu).

Manifestação

A operação foi revelada pelo portal Metrópoles. Em resposta, alguns empresários citados se manifestaram. Luciano Hang classificou a matéria como irresponsável e leviana, além de dizer que não ameaçou golpe ao STF ou qualquer instituição.

O Grupo Sierra, de Tissot, informou que não haverá manifestação sobre a operação. Ivan Wrobel, da Construtora TW, disse que o histórico de vida dele é ligado à liberdade e democracia, de maneira que as mensagens privadas foram tiradas de contexto. A defesa de Afrânio Barreira, do Coco Bambu, alegou que a busca e apreensão é fruto de perseguição política e denúncias falsas.

Com informações da PF/ Confira a matéria completa da Band