A Polícia Civil do Paraná (PCPR) prendeu 232 pessoas em uma operação de combate à violência contra as mulheres. As ações aconteceram durante o mês de março, em todo o Paraná. As iniciativas fazem parte da Operação Átria, do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) com abrangência nacional.

Dos presos, 89 foram por mandado de prisão e o restante em flagrante. Além disso, os policiais civis cumpriram 84 mandados de busca e apreenderam 36 armas de fogo e 1.798 munições.

“Neste período, atuamos em duas frentes. A de combate e enfrentamento à violência doméstica contra mulher, atividade repressiva da Polícia Civil, e a preventiva, de dar orientações desde a infância sobre o quanto é importante ter um bom relacionamento no ambiente familiar”, afirma a delegada Luciana Novaes.

A operação contou com a participação das polícias civis de todos os estados e do Distrito Federal, sob coordenação da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), órgão do governo federal.

Além do combate à violência contra a mulher, por meio da apuração de denúncias, instauração de inquéritos policiais, atendimentos às vítimas e cumprimento de mandados de prisão, a operação também promoveu ações educativas, como palestras, orientações e cursos.

As polícias civis atuaram, de forma conjunta, na busca de suspeitos e foragidos da Justiça pela prática de crimes de feminicídio, violência física, psicológica, patrimonial, moral e sexual contra mulheres e outras tipificações.

ÁTRIA – Átria é o nome da principal estrela da constelação denominada “Triângulo Austral” do Hemisfério Estelar Sul. Tem uma coloração alaranjada e consta na bandeira do Brasil. Em alusão à posição de destaque da estrela, a operação objetiva reposicionar a mulher, retirando da condição de vítima e a colocando em evidência.

CANAL DE DENÚNCIA – As denúncias de violência contra a mulher podem ser feitas através do 181, que atende todo o Paraná e funciona diariamente, 24 horas por dia.

Foto: PCPR

da AEN