Na manhã desta sexta-feira (14), o prefeito de Ponta Grossa, Marcelo Rangel, comentou sobre a notícia de uma jovem que testou positivo para o novo coronavírus após ter participado de uma festa em Prudentópolis no último sábado (9). As declarações foram dadas durante ‘Programa Nilson de Oliveira’, que vai ao ar todos os dias pela Rádio Mundi FM.

Rangel não poupou críticas à realização da festa que contou com a participação de 150 pessoas. “Fazer qualquer tipo festa – de aniversário, de batismo, de casamento – em época de pandemia é um absurdo. Isso pode acarretar uma infecção em massa”, enfatiza.

Para o prefeito, o evento pode desencadear uma onda de casos de Covid-19 em todo o estado. “Pode ser desastroso para o Paraná. Essas 150 pessoas representam 150 famílias e, numa cidade do tamanho do Prudentópolis, pode se tornar algo extremamente grave para o estado do Paraná”, frisa. “Fica aqui o registro: fazer qualquer tipo de reunião coloca o estado e uma região inteira em risco”, reforça.

Casos podem ser encaminhados para o HU-UEPG 

“Essa notícia caiu como uma bomba e colocou em estado absoluto de alerta Ponta Grossa, Guarapuava e toda a região de Prudentópolis”, destaca. Rangel lembra que pacientes de Prudentópolis frequentemente são atendidos em Ponta Grossa e Guarapuava.

Ele reforça ainda que o Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais (HU-UEPG) é referência para a região e não descarta que os pacientes sejam encaminhados para Ponta Grossa. “Olha o problema que nós temos pela frente nos próximos 15 dias. Já temos o caso positivado que, provavelmente, vai estourar aqui no nosso Hospital Universitário”, enfatiza.

PG pode endurecer as restrições 

Rangel afirma que não descarta a possibilidade de adotar medidas de restrição mais duras se a festa de Prudentópolis se tornar um foco de infecção de Covid-19 em Ponta Grossa. “Se nós tivermos casos de internação de pacientes de Prudentópolis aqui em Ponta Grossa e se vierem muitos casos daquela região, isso pode influenciar em decisões na cidade de Ponta Grossa em relação a restrições”, alerta. Ele acrescenta que, no momento, está acompanhando o desenrolar do caso antes de tomar qualquer decisão.

Prefeito sugere isolamento dos participantes

“Eu fiquei pensando como se resolve um caso desses. Da noite para o dia, Prudentópolis pode ter se tornado a cidade mais infectada do Paraná”, sublinha. Rangel ressalta que os outros jovens que participaram da festa também pode estar contaminados e já ter transmitido o novo coronavírus para outras pessoas. “A jovem que testou positivo está em casa, em isolamento, mas os 150 jovens que estiveram em contato com ela na festa tiveram contato com familiares e amigos desde o final de semana e hoje são considerados suspeitos”, comenta.

O prefeito sugere que os participantes e seus familiares fiquem em isolamento social. “Como se faz um lockdown depois de um caso desses? As 150 pessoas que estiveram na festa e seus familiares ou pessoas que tiveram contato com elas precisam estar completamente isoladas pelos próximos dias”, enfatiza.

A opinião foi compartilhada pelo Secretário de Infraestrutura e Logística do Paraná, Sandro Alex. “Primeiro, parece-me uma sugestão que pelo menos que as pessoas que estavam envolvida nesta festa tenham a consciência de fazer um isolamento espontâneo”, complementa.

Festa havia sido denunciada

“Essa festa foi denunciada. A população denunciou, mais nada foi feito. Então há que se ter também uma investigação sobre isso”, explica Sandro Alex. Ele acrescenta que o caso será encaminhado para as autoridades competentes para que seja investigado. “Além de problema de saúde pública, o caso vai virar assunto de polícia”, finaliza.

Por DPonta News