Nesta semana, a 4ª Regional de Saúde registrou os dois primeiros casos de coronavírus (Covid-19), após 50 dias, desde que iniciou a pandemia no Brasil. O primeiro foi confirmado em Inácio Martins, na terça-feira (5), e o segundo em Mallet, na quarta-feira (6). Os casos são importados, ou seja, as pessoas viajaram para outras cidades e contraíram o vírus.

O caso de Inácio Martins é uma mulher, de 61 anos, que foi para Guarapuava visitar os filhos, ela já é considerada como caso recuperado pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesa). Já o paciente de Mallet é um homem, de 60 anos, que esteve em Minas Gerais recentemente, ele está no Hospital Regional de União da Vitória.

PRIMEIRO CASO

A paciente mora no interior de Inácio Martins, segundo a secretária de Saúde Municipal, Angela Maria da Cruz Cardoso Macarroni, ela esteve em Guarapuava, onde os filhos moram, e fez o teste lá apresentando o endereço do filho. Quando saiu o resultado positivo foram até a residência e descobriram que a mulher, na verdade, é moradora do município, assim, a Secretaria foi notificada e a equipe foi até a residência para os procedimentos necessários. Ela está isolada em casa, e já foi feito teste rápido no marido e filhos, que obtiveram resultado negativo.

O prefeito de Inácio Martins, Junior Benato, comenta como está a paciente. “Segundo o nosso setor de Saúde, essa pessoa está passando bem, apresentou os sintomas, teve início de pneumonia, teve dificuldade respiratória, mas passou a situação crítica”.

Para ele, o que muda com este caso positivo são os cuidados redobrados que todos devem ter, em relação ao monitoramento das orientações e critérios de vigilância epidemiológica ou sanitária. “O comércio vai estar atento, quase 95% da população está consciente, o que fica perigoso são estes 5% que achavam, até então, que não ia dar em nada. Agora, é uma realidade dentro do nosso convívio, então, muda este conceito a respeito do relaxamento. Tem que ter a intensificação dos cuidados”, disse.

SEGUNDO CASO

O segundo caso registrado, um homem, que também é morador do interior de Mallet, no Rio Claro, a equipe da Secretaria de Saúde Municipal foi até a residência para os procedimentos recomendados. Porém, ele está na enfermaria do Hospital Regional de União da Vitória. Segundo a secretária da pasta, Lorena Santos, o paciente fez o teste em União da Vitória onde foi para uma consulta com cardiologista e passou mal. Ele é policial aposentado e viajou para Minas Gerais nos últimos dias.

O chefe da 4ª Regional de Saúde, Walter Trevisan, comenta que percebeu que as pessoas acabaram deixando de lado as orientações, e agora, precisam ser seguidas novamente com mais rigorosidade com estes casos na região. “A gente tem visto que as pessoas acabaram se descuidado nesses momentos de festa, de se encontrar com os familiares, é um momento que precisamos tomar cuidado, por mais que sejam pessoas próximas a nós não sabemos onde essas pessoas estavam um ou dois dias antes, se tiveram contato com algum assintomático”, disse.

Ele ainda alerta para as pessoas que não sentem os sintomas, pois, a estimativa é que 80% da população seja assintomática, mas pode transmitir o vírus. A preocupação maior é com os 20% que têm problemas de saúde e pode acarretar em situações mais graves e podem ter complicações com o coronavírus.

Trevisan alerta para o Dia das Mães, comemorado neste domingo (10), em que as pessoas querem visitar os familiares, para terem mais cuidado. E, se a pessoas estiver com sintomas de gripe, procure ajuda profissional já no início, que pode ser por telefone, ou indo até uma Unidade de Saúde. Também, é importante que as pessoas mantenham o distanciamento social, o uso da máscara, a lavagem das mãos, frequentemente, e evitar sair de casa. “Temos que ter o bom senso e responsabilidade de cuidar das pessoas próximas a nós”, finaliza Walter.

Da Folha de Irati