A produção mundial de alimentos terá que aumentar nos próximos anos e o Paraná está se preparando cada vez mais para atender a essa demanda com sustentabilidade. Essa foi a mensagem passada pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior, nesta quinta-feira (9), a produtores rurais e empresários que participaram do Gri Agro 2023, em São Paulo. O evento é organizado pelo Gri Club, rede global de líderes dos setores imobiliário, infraestrutura e agronegócio.

A preocupação global com a segurança alimentar cresce a cada dia, disse Ratinho Junior. Nesse cenário, o Paraná tem não só aumentado a produção no campo, como também industrializando cada vez mais essa produção. “Entendemos a vocação que temos, que é produzir alimentos, e estamos cada vez mais industrializando tudo isso com o selo de sustentabilidade”, disse o governador.

Para confirmar esses dados, ele citou que o Paraná há três anos é o mais sustentável do Brasil, segundo o Ranking de Competitividade dos Estados, além de ser citado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) como exemplo global de sustentabilidade. “Produzimos alimentos, somos sustentáveis e automaticamente temos que expor e propagar isso para o mundo”, afirmou.

Ratinho Junior disse ao público do Gri Agro 2023 que, investindo cada vez mais em sustentabilidade, o Paraná poderá inverter a ordem mundial atual e escolher para quem vai vender sua produção.

“Temos que começar a escolher o cliente. Um país quer comprar alimento nosso, então qual é a sustentabilidade que esse país pratica? Porque se não estiver enquadrado naquilo que nós fazemos, não queremos vender para esse país”, explicou o governador, citando países que usam, por exemplo, energia a carvão. O Paraná, ele destacou, produz 94% de sua energia de forma renovável.

Ações ambientais

O Paraná é líder nacional na produção de proteína animal e segundo colocado na produção de grãos, além de ser o estado com o agronegócio mais industrializado no país. Índices que fazem com que o agronegócio represente 35% do PIB paranaense, sem deixar de lado as ações sustentáveis, que foram apresentadas por Ratinho Junior no evento em São Paulo.

Entre as ações sustentáveis que o Paraná vem liderando, o governador citou o plano de preservação de nascentes de rios, com o comprometimento de proteger pelo menos 30 mil fontes e minas d’água até 2026. Além disso, o Instituto Água e Terra (IAT) já distribuiu 8,5 milhões de mudas de espécies nativas desde 2019.

Outro fato de destaque é que o Paraná foi o Estado que mais reduziu o desmatamento da Mata Atlântica nos cinco primeiros meses desse ano. Em outubro, junto com os outros estados membros do Consórcio de Integração Sul e Sudeste (Cosud) assinou o “Tratado da Mata Atlântica”, em que há o compromisso de restaurar 90 mil hectares do bioma, o equivalente a 120 mil campos de futebol, com o plantio de 100 milhões de mudas nativas até 2026.

Na produção orgânica, o Paraná também é destaque, líder neste tipo de agricultura com 3,7 mil produtores, representando 16% de todos os agricultores do segmento no país. Mesmo assim, o Paraná tem o compromisso de estender ainda mais e incentivar a agricultura sustentável com a meta estabelecida por lei de ter 100% das mais de 2 mil escolas estaduais atendidas exclusivamente com produtos orgânicos até 2030.

Presenças

Também participaram do Gri Agro 2023 os vice-governadores de Minas Gerais, Mateus Simões, e do Mato Grosso, Otaviano Pivetta; além da presidente da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Silvia Massuruhá.

Foto: Jonathan Campos/AEN

da AEN