Agentes das Forças Armadas e das polícias Civil e Militar do Paraná vão atuar de forma integrada na Operação Ágata Conjunta Sul – Fronteira Segura para Todos. A ação iniciou no sábado (01) para combater crimes transfronteiriços, como o tráfico de drogas e de armas, descaminho de produtos, e crimes ambientais.

A Operação foi desencadeada na região Sul, alcançando os estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, e realiza ações preventivas e repressivas nas fronteiras terrestre e marítima. O objetivo das forças de segurança e das Forças Armadas é barrar a ocorrência de crimes que têm graves reflexos tanto na própria região de fronteira quanto nos outros municípios do Estado.

“Nós aceitamos o convite do Exército Brasileiro em prestar apoio com nossas forças estaduais nesta operação. Vamos colaborar mobilizando nosso efetivo, intensificando a presença do Estado junto às faixas de fronteira, reforçando a sensação de segurança. Essa união entre as forças é essencial para a sociedade, trazendo excelentes resultados no combate ao crime organizado”, destacou o secretário estadual da Segurança Pública, Hudson Leôncio Teixeira.

As polícias Civil e Militar do Paraná vão prestar todo o apoio durante a Operação Ágata Conjunta Sul, além de reforçar o policiamento ostensivo preventivo, com as forças integradas.

Integração

Integram a Operação Ágata a Marinha do Brasil, o Exército Brasileiro, a Força Aérea Brasileira, a Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal, a Receita Federal, a Agência Brasileira de Inteligência (Abin), o Ibama, a Anvisa, o ICMBio, a Anatel, a Secretaria de Segurança Pública do Paraná e Secretarias da Agricultura dos Estados da região Sul, além de outros órgãos de fiscalização federais, estaduais e municipais.

Foto: Comando Militar do Sul

da AEN