A pré-candidata a deputada federal Gleisi Hoffmann (PT), esteve em Ponta Grossa no último sábado (6) e gravou uma entrevista exclusiva ao programa Manhã Total, apresentado por João Barbiero e Eduardo Vaz, na Rádio Lagoa Dourada FM (105,9 para Ponta Grossa e região e 90,9 para Telêmaco Borba). O conteúdo foi ao ar nesta quarta-feira (10).

Gleisi pontua que o processo de recuperação da economia brasileira depende de investimentos próprios do Estado. “Pra gente recuperar a economia, o Estado brasileiro tem que voltar a ser protagonista dos investimentos, porque no momento de crise o privado não investe e nem tem tanto dinheiro para investir”, diz.

Como exemplo, ela cita o programa Minha Casa Minha Vida, que contava com subsídio do Estado. “Esse subsídio do Estado foi um dinheiro que foi colocado na economia e que reverteu para a sociedade, gerou emprego, distribuiu renda e reverteu também para tributos, além de proporcionar às pessoas de baixa renda a ter moradia. Casa é dignidade na vida das pessoas”, acrescenta.

Preço do combustível

Para solucionar o problema do preço do combustível, ela pontua que é necessário ‘desdolarizar’ a política de preços da Petrobras. “Eles dolarizaram tudo porque isso dá uma lucratividade imensa para a empresa e pior, eles estão diminuindo o refino dentro do Brasil, estão vendendo as refinarias. Nos oito anos que o Lula governou, a gasolina subiu apenas 8 vezes. Subia uma vez por ano e em um valor bastante módico. O botijão de gás de cozinha não subiu nenhuma, era cerca de 35, 40 reais, porque tinha uma política de preço e tinha que remediar com o preço internacional, essa é uma decisão”, afirma.

Lula

Como presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, Gleisi defende que o pré-candidato à presidência, Luiz Inácio Lula da Silva, teve 87% de aprovação no último mandato e que “ele já sabe o que precisa fazer”. “Mais do que isso, ele já sabe onde acertou e onde errou, tem condições de fazer muito melhor do que ele fez no primeiro governo”, completa.

“Eu acho que não tem outra pessoa para sentar na cadeira da presidência e tirar o país da crise que não o Lula. Bolsonaro não tem essa capacidade porque nos meteu nessa crise que está, os outros que estão disputando não conseguem mostrar com clareza um projeto que seja diferente do que o Lula ou Bolsonaro falam”, opina.

Sobre as polêmicas envolvendo corrupção e o Partido dos Trabalhadores, Gleisi Hoffmann destaca que “quem pratica ato corrupto tem que ser investigado, tem que ser processado e punido”. Ela ainda completa. “Nós não temos nenhuma conivência com a corrupção, nos nossos governos nós investimos muito na transparência. Tínhamos a lei de acesso à informação que o Bolsonaro acabou agora, fizemos a controladoria geral da união e o portal da transparência onde estão todas os gastos, nunca tivemos interferência na Polícia Federal, Bolsonaro veio e trocou um monte de delegado que tinha que ser a favor do filho dele, não podia ser contra, nunca tivemos interferência em investigações, sempre deixamos a coisa acontecer”, finaliza.

Gleisi Hoffmann (Foto: Reprodução)