O músico Douglas Passoni de Oliveira é um dos indicados na categoria Instrumentista Erudito. Ele é nascido em Palmeira e além de pianista é Diretor Artístico do Conservatório Maestro Paulino e cantor do Coro Cidade de Ponta Grossa, ambos mantidos pela Fundação Municipal de Cultura. Ele conta que mesmo com tantas funções o piano nunca deixou de fazer parte do seu cotidiano, sobretudo, nos registros de obras inéditas, como foi o caso de “Orquídeas Silvestres”, valsa de João Portaro que está entre os links enviados para a inscrição neste prêmio.

“Sou grato ao reconhecimento e oportunidade! Receber a notícia da indicação ao prêmio foi uma feliz surpresa frente ao tempo que vivemos. Assumi a música como profissão e desde então, me orgulho daquilo que já consegui produzir, nas diferentes frentes de trabalho”, destaca Douglas.

Para o maestro Orquestra Sinfônica de Ponta Grossa, Rafael Rauski, a indicação representa uma renovação de ânimo nesses tempos tão difíceis em que as apresentações e ensaios estão paralisados. A indicação foi feita a partir das apresentações das temporadas de 2017, 2018 e 2019, nas quais a OSPG executou obras memoráveis, como a Sinfonia 5 de Tchaikovsky, a Sinfonia 9 de Dvorák e Carmina Burana. “Para que isso fosse possível, é necessário exaltar a qualidade e o comprometimento dos músicos com a orquestra, bem como todo o esforço realizado para efetivar um repertório desse nível”, comemora Rauski.

Para avançarem para a próxima etapa, a semifinal, os indicados passam agora por uma votação popular. Para votar basta acessar o site do prêmio (www.ppm.art.br), fazer o cadastro, entrar com a senha cadastrada e, enfim, clicar na aba “votação”. O público tem até dia 20 de novembro para decidir.

Com informações da assessoria