Ações como essas estão sendo apresentadas aos prefeitos de todos os 399 municípios do Paraná em uma série videoconferências realizadas pela Secretaria do Desenvolvimento Urbano e de Obras Públicas e o Paranacidade. Os encontros têm como objetivo disponibilizar o leque de ações, ferramentas digitais e orientações que as duas instituições disponibilizam às prefeituras para apoiar o desenvolvimento das cidades.

Uma das novas tecnologias para projetos urbanos, por exemplo, é a implementação de calçadas construídas com concreto poroso. A tecnologia, já utilizada em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, permite que a água da chuva alcance o lençol freático mais rapidamente ou faça o escoamento por dutos ou drenos localizados embaixo do pavimento.

“É um processo que tem custos menores de implantação e manutenção, com mais benefícios ao meio ambiente”, destaca o superintendente executivo do Paranacidade, Álvaro Cabrini.

Sua aplicação auxilia no enfrentamento de alguns dos problemas ambientais e urbanos decorrentes da impermeabilização do solo. “É um recurso interessante para reduzir as ocorrências de enxurradas e, principalmente, de enchentes”, explica Cabrini.

O uso do concreto poroso está entre as opções para Projetos de Urbanização e Calçadas que podem ser viabilizados via a liberação de recursos pela Secretaria do Desenvolvimento Urbano e de Obras Públicas, com operação do Paranacidade.

INCLUSÃO  Nestas reuniões virtuais, o secretário da pasta, João Carlos Ortega, tem defendido iniciativas que promovam a inclusão social. Ele destaca o programa Meu Campinho, que oportuniza espaços para a prática de esporte, lazer e convivência nas cidades. Mais de 100 municípios já foram contemplados com o projeto.

“O programa é inclusivo, resgata valores e une famílias no mesmo espaço urbano, principalmente praças, ao criar acesso à prática esportiva e à convivência, com crianças, adolescentes e até com idosos”, afirma Ortega.

Instaladas próximas a escolas e em regiões mais carentes, as unidades Meu Campinho são construídas de forma modular e podem possuir uma série de equipamentos, como quadra de grama sintética, parquinho infantil, academia a céu aberto, espaço de convivência e outros, de acordo com as definições feitas pelas prefeituras.

“Desfrutar de um local reservado para as brincadeiras infantis e para o esporte, ao lado de espaços para os adultos e idosos se exercitarem, muda o olhar das pessoas para com as cidades. O Meu Campinho é um local onde as famílias têm acesso ao esporte, a atividades físicas e infantis e ao convívio de vizinhança”, enfatiza Ortega.

REUNIÕES – As reuniões online com prefeitos, que acontecem nesta semana e prosseguirão na próxima, têm a participação do secretário João Carlos Ortega, do superintendente executivo do Paranacidade, Álvaro Cabrini, diretores e técnicos dos dois órgãos. A primeira aconteceu segunda-feira (26) com os prefeitos da Associação de Municípios do Centro Sul do Paraná (Amcespar).

Na terça-feira (27), participaram prefeitos da Associação dos Municípios do Médio Paranapanema (Amepar), Associação aos Municípios do Vale do Ivaí (Amuvi) e Associação dos Municípios do Setentrião Paranaense.

AEN.