A secretária de Saúde de Curitiba, Márcia Huçulak, afirmou, nesta segunda-feira (24), que os índices de avaliação apontam que a cidade deve retornar à bandeira vermelha, de restrições mais rígidas contra a Covid-19.

A capital está em bandeira laranja, de nível médio, diante da pandemia. O decreto vigente, publicado na terça-feira (18), tem validade até quarta-feira (26), quando deve ser anunciada uma nova decisão.

“Tudo aponta. A gente tem uma reunião, mas com o dado até hoje, que me mostraram, nós estamos ali. Nós tentávamos com esse esforço segurar um pouco isso. A gente está assim, para o vermelho é uma viradinha. Não vejo muita saída. Não estou vendo muita perspectiva”, disse Márcia.

A bandeira laranja está em vigor na capital desde o dia 5 de abril. Antes disso, a cidade passou por três semanas em bandeira vermelha, com restrições mais rígidas de circulação e de funcionamento de estabelecimentos.

No decreto da semana anterior, o município aumentou em uma hora o toque de recolher e fechou serviços não essenciais aos fins de semana, como shopping centers, mercados e academias.

Com a medida, segundo a secretária, a prefeitura pretendia evitar a circulação de pessoas para, assim, diminuir a alta transmissão dos vírus, mas também buscava reduzir o número de pessoas hospitalizadas por traumas, de acidentes, que também demandam vagas em leitos.

Na sexta-feira (21), diante do decreto que determinou que mercados, supermercados e hipermercados só podem atender aos sábados e domingos na modalidade delivery, até às 21h, a Associação Paranaense de Supermercados (Apras) conseguiu autorização judicial para o funcionamento presencial no sábado das 7h às 20h.

A prefeitura recorreu e, na madrugada de sábado (22), a Justiça proibiu o funcionamento na modalidade presencial em Curitiba, aos fins de semana, conforme previsto no texto da bandeira laranja em vigência.

Dados da Secretaria Municipal de Saúde apontam que, nesta segunda-feira, Curitiba atingiu 208.679 casos de coronavírus, com 5.249 mortes pela doença, desde o início da pandemia.

O boletim da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) informou total de 156.070 casos e 5.033 óbitos na capital. A cidade possui 9.966 casos ativos.

A taxa de transmissão da Covid-19 em Curitiba, nesta segunda-feira, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, é de 1,2, o que significa que cada 100 pessoas têm capacidade para contaminar outras 120.

do G1