O Ministério da Saúde lançou hoje (17) o Plano Nacional de Testagem da Covid-19 em seis cidades brasileiras. Já foram distribuídos 4 milhões de testes rápidos de antígeno, e a previsão é chegar a 60 milhões até o fim do ano, para identificar casos sintomáticos e assintomáticos na população geral e em grupos vulneráveis.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, participou da cerimônia de lançamento em Natal. O evento foi realizado de forma simultânea também em Porto Velho, Campo Grande, Macapá, Belo Horizonte e Foz do Iguaçu, no Paraná.

Os resultados do plano servirão para monitorar os índices de contágio e as variantes do novo coronavírus e orientar sobre medidas de controle da circulação do vírus nas cinco regiões do país. Quem fizer teste e tiver resultado positivo terá que iniciar o isolamento social.

“Aquele que é negativo pode voltar às suas atividades normais e, assim, conciliaremos o binômio saúde e economia, para que nosso país volte a crescer”, disse Queiroga.

A testagem será reforçada nas unidades básicas de saúde para pacientes com sintomas e em pontos de triagem em locais de grande circulação para pessoas assintomáticas. O teste de antígeno é feito com amostras de swab (cotonete) de nasofaringe, fica pronto em 15 minutos e consegue diagnosticar a infecção viral atual, mas não detecta os anticorpos adquiridos.

Em agosto, o ministério realizou o projeto piloto do plano em Brasília, com a testagem de 217 voluntários. O resultado foi que 94,9% dos testes tiveram negativo para covid-19, e 5,1% daqueles cujo exame deu positivo receberam atestados médicos e foram encaminhados para o isolamento em casa.

Foz do Iguaçu

O Paraná iniciou nesta sexta-feira (17) a participação no Plano Nacional de Expansão da Testagem para a Covid-19, do Ministério da Saúde. O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, esteve em Foz do Iguaçu para o lançamento do projeto, que ocorreu de forma simultânea e online com o ministro Marcelo Queiroga, que estava em Natal (Rio Grande do Norte). O município foi um dos cinco escolhidos no Brasil para o evento-piloto.

A previsão é que cerca de 60 milhões de testes de antígeno, que mostram o diagnóstico com essa rapidez, sejam distribuídos pelo Ministério da Saúde para todo Brasil em 2021. Serão testes rápidos de antígenos processados em 15 minutos para a identificação viral e bloqueio de contato. Em Foz do Iguaçu, 15 mil testes foram colocados à disposição. O Estado vai receber mais cerca de 120 mil nos próximos dias.

“A nossa fronteira é de muito trânsito. Com essa estratégia de testes eficientes, vamos ter melhores condições de trabalhar a vigilância no município, fazendo o isolamento, a orientação e o bloqueio dos casos. Pedimos a estratégia há muito tempo ao Ministério da Saúde e agora saiu. Agradecemos a iniciativa, é importante e vamos continuar atendendendo as pessoas”, afirmou Beto Preto.

Na ação desta semana, 2,4 milhões de testes já foram enviados aos municípios. “Este é um programa é uma proposta de expansão da testagem, junto com gestores estaduais e municipais para identificar de forma mais rápida casos positivos da Covid-19 e poder intervir. É, portanto um reforço e estamos aprimorando nossa capacidade de combater o vírus”, disse o secretário de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, Hélio Angotti.

Dos 200 testes realizados no perído da manhã, numa tenda instalada próxima da Ponte da Amizade, ligando o Brasil ao Paraguai, três foram positivos na coleta por swab nasal, o que representa pouco mais de 1%.

“Por aqui circulam milhares de pessoas de outros países e de outras regiões do Brasil. Foz do Iguaçu é um ponto estratégico de testagem e vamos conseguir identificar com esta iniciativa, se mais pessoas estão com o vírus, podendo transmitir”, destacou o prefeito Chico Brasileiro.

Estratégia

Segundo o ministro, a estratégia  do Ministério da Saúde engloba ainda a Pesquisa de Prevalência de Infecção por Covid-19 no Brasil (PrevCov), lançada em maio, que envolve a testagem em 62.097 domicílios de 274 municípios, o equivalente a 211.129 pessoas. Mais de 30 mil já foram testadas para identificar a presença de anticorpos do tipo IgG para a covid-19, apontando quem já foi infectado ou desenvolveu resposta imunológica após a vacinação.

“Vamos vencer o nosso único inimigo que é o vírus. E estamos conseguindo, vacinando a população e agora ampliando nossa capacidade de testagem”, afirmou o ministro.

De acordo com Queiroga, a infraestrutura de testagem também foi reforçada em todo o país, com investimentos do ministério nos laboratórios centrais de saúde, para a realização de exames do tipo RT-PCR, que também detectam a infecção enquanto ainda está ativa.

da Agência Brasil