O presidente do DEM, ACM Neto, afirmou que o conflito entre integrantes do governo e o Ministério da Saúde era “evidente” e que permanência de Luiz Henrique Mandetta na pasta ficou “insustentável”.

O partido defende que Mandetta continue liderando um trabalho nacional vinculado à área da saúde.

“Chegou num momento que não adiantava mais, a relação era insustentável, que o conflito era evidente e que Mandetta já não tinha condição de tocar o trabalho nesse momento. Ele sai com sentimento do dever cumprido e com reconhecimento da população e respaldo do DEM. Que o novo ministro siga linha técnica, científica voltada para preservação da vida”, afirmou ACM Neto.