O maestro Nélson Lopes é regente da Orquestra Municipal de Palmeira e, em iniciativa que tem a participação da Associação Menonita de Assistência Social (AMAS), agora parte para uma nova iniciativa para o incremento da música em Palmeira: a criação da Orquestra Filarmônica Tom Jobim. Ele o coordenador da AMAS, pastor Aroldo Heimbecker, estão atuando no sentido de viabilizar a formação de músicos, especialmente crianças e adolescentes atendido pela entidade. Estes músicos, poderão integrar o conjunto da nova orquestra, que será mantida com recursos obtidos junto a patrocinadores e incentivadores, sem qualquer investimento de recurso público. Por isso, segundo o maestro, é uma filarmônica, pois será mantida por uma entidade da sociedade civil organizada que captará recursos para a manutenção do grupo.

A intenção inicial, na primeira etapa inicial, com a formação de músicos, é contar com 40 componentes para a formação básica da orquestra. “Pretendemos chegar a 80 músicos após a terceira etapa, que é um número para orquestra de grande porte”, revela Lopes, demonstrando confiança na execução do projeto que já vem traçando há alguns anos. O projeto prevê naipes completos de instrumentos de cordas, violinos, base e percussão

Desde o ano passado, o maestro trabalha com as crianças e adolescentes atendidos pela AMAS em Palmeira e em conversas com coordenador foram afinando as intenções, que eram mútuas. Assim nasceu o projeto que vai ganhando forma e que será aberto a toda a comunidade, oportunizando a participação dos interessados. Isto só não acontece neste primeiro momento devido à dificuldade de se contar com instrumentos suficientes para atender a todos. Assim, o maestro solicita a quem possa fazer doação de instrumentos, mesmo usados, que entre em contato, colaborando para o avanço do projeto. “Como vamos trabalhar, a princípio, com crianças carentes e que não têm condições de comprar o próprio instrumento, pedimos a quem puder colaborar, empresários também, que façam a doação, pois os instrumentos serão muito bem aproveitados”, declara Lopes.

A parceria com a AMAS veio de encontro ao desejo do maestro, de formar uma orquestra contando com naipe completo de cordas, flautas, oboés, fagote, conferindo um nível mais erudito, mas também tocando música popular. Também na expectativa de formação de músicos. Neste conceito de orquestra experimental, que será dado à nova orquestra, Lopes cita a diferença para com a Orquestra Municipal, que, segundo ele, foi criada para ser um conjunto de entretenimento.

Professor

O trabalho de instituição da Orquestra Filarmônica vai avançando, inclusive já contando com um professor para instrumentos de cordas, como violino, viola clássica, cello. Trata-se de Klaus Kaizer Schwerdtfeger, nada mais que o spalla da Orquestra Sinfônica de Ponta Grossa, a mais antiga orquestra sinfônica do Paraná, fundada em 1954. O spalla é o primeiro violinista de uma orquestra, comparado a um gerente, pois cabe a ele passar instruções do maestro para os músicos e checar a afinação de todos os instrumentos antes dos concertos.

Schwerdtfeger é bacharel em violino pela Escola de Música e Bela Artes do Paraná, também é professor do Conservatório Musical de Ponta Grosa, que leva o nome de Maestro Paulino Martins Alves, por sinal, nascido em Palmeira e que fez carreira musical em Ponta Grossa. O Conservatório, por mais uma feliz coincidência histórica e musical, atualmente tem como seu diretor artístico um palmeirense, Douglas Passoni.

Tom Jobim

Antônio Carlos Jobim nasceu no Rio de Janeiro em 25 de janeiro de 1927 e morreu em Nova Iorque em 8 de dezembro de 1994, durante uma cirurgia do coração. Mais conhecido pelo seu nome artístico, Tom Jobim foi um compositor, maestro, pianista, cantor, arranjador e violonista brasileiro. Autor, junto com Vinícius de Moraes, da conhecida música “Garota de Ipanema”, é um dos artistas brasileiros que teve maior projeção no exterior, tocando e gravando com grandes nomes da música internacional, entre eles Frank Sinatra. O nome da Orquestra Filarmônica é uma homenagem ao compositor e maestro prestada pelo maestro Nélson Lopes, que não esconde sua admiração pela obra musical de Tom Jobim.

Fonte:      http://leiafolha.com.br/maestro-e-amas-atuam-na-execucao-do-projeto-da-orquestra-filarmonica-tom-jobim/