A Caixa Econômica Federal tem até o dia 31 de agosto para creditar a distribuição de R$ 8,129 bilhões do lucro auferido pelo FGTS em 2020, de forma proporcional ao saldo do trabalhador. A distribuição alcança 191,2 milhões de contas, que tinham saldo total de R$ 436,2 bilhões em dezembro de 2020.

Na prática, a distribuição será de 1,83% sobre o saldo da conta vinculada do trabalhador existente em 31 de dezembro de 2020, ativa e/ou inativa.

Os recursos serão destinados aos cotistas que, em dezembro de 2020, tinham saldo positivo em contas ativas e/ou inativas.

O Conselho Curador do FGTS aprovou nesta terça-feira a distribuição dos R$ 8,129 bilhões. O valor equivale a 96% do resultado do ano passado, que foi de R$ 8,467 bilhões.

O dinheiro será incorporado ao saldo da conta e só poderá ser retirado nas condições previstas de saque, como demissões sem justa causa, três anos de desemprego com carteira assinada, compra da casa própria, aposentadoria, saque-aniversário e também doenças graves.

Segundo dados do Conselho Curador, para cada mil reais de saldo, serão creditados R$ 18,63 na conta vinculada. O valor deve ser multiplicado por 0,01863517 (confira as simulações no infográfico ao lado).

As contas do FGTS são corrigidas em 3% ao ano, mais a Taxa Referencial (TR), atualmente zerada. Um dos objetivos da distribuição de parte do lucro é melhorar a rentabilidade para os trabalhadores.

Em 2020, o Fundo de Garantia distribuiu entre os cotistas R$ 7,5 bilhões, cerca de 66% do lucro apresentado em 2019, que foi de R$ 11,3 bilhões.

O trabalhador pode consultar seu saldo da conta do FGTS por meio do aplicativo FGTS, com cadastro e senha. Também é possível verificar o saldo e outras informações de seu FGTS no site da Caixa. Basta fazer login e fazer sua consulta.