Com apoio da Itaipu Binacional, Foz do Iguaçu será sede, em 2024, de eventos fundamentais para o futuro da energia limpa no planeta. A cidade receberá as reuniões ministeriais de energia do G20, a 15ª edição da Clean Energy Ministerial (CEM) e a 9ª edição da Mission Innovation (MI). Nesses encontros, que ocorrerão simultaneamente na última semana de setembro do próximo ano, governos de todo o mundo avaliarão o progresso e estabelecerão metas e compromissos para a descarbonização da geração energética.

Por ser a futura anfitriã do evento, a Itaipu Binacional participou das ministeriais em Goa, na Índia, para conhecer as dinâmicas dos eventos, o perfil das autoridades e do público, as necessidades logísticas e apurar as especificações técnicas para a realização dos eventos em Foz do Iguaçu. Também foi uma oportunidade para estabelecer contato direto com o secretariado da CEM e da MI, e estabelecer um primeiro cronograma de reuniões e ações que terem início a partir deste mês de agosto para preparar os eventos de 2024.

Segundo a chefe do gabinete da Itaipu Binacional em Brasília, Lígia Leite, o Brasil é referência em transição energética e a Itaipu demonstra, com resultados concretos de anos de trabalho, como gerar energia limpa e renovável atrelada à promoção do desenvolvimento social e ambiental. “Estamos honrados com o convite do ministro Alexandre Silveira para apoiarmos e sediarmos a CEM, a MI e as ministeriais do G20 em Foz do Iguaçu em 2024. Participar em Goa, na Índia, dessas ministeriais foi fundamental para conhecer a dinâmica dos encontros, contar com os colegas indianos para compartilhar as lições aprendidas e conhecer as delegações, que estão entusiasmadas com o anúncio de que o evento será em Foz do Iguaçu no ano que vem”, contou Leite.

Para ela, a Itaipu está pronta para assumir esse desafio e, juntamente com o Ministério de Minas e Energia (MME) e o Ministério de Relações Exteriores (MRE), fazer das ministeriais em Foz do Iguaçu um marco na história da usina e do setor elétrico, contribuindo para o fortalecimento da imagem do Brasil como país líder na produção de energia sustentável. “Sabemos da nossa capacidade de inovação e somos um exemplo de cooperação internacional que merece ser compartilhado com o mundo. Estamos seguros de que, em parceria com o Governo Federal, faremos um evento de grande sucesso em 2024!”, disse chefe do gabinete da Itaipu Binacional.

Durante o encontro na Índia, o ministro de Minas e Energia do Brasil, Alexandre Silveira, reafirmou o compromisso brasileiro com a implementação de ações concretas para a promoção da transição energética, destacando a forte participação de fontes renováveis na matriz elétrica nacional, com cerca de 90%. “Trago uma mensagem clara do presidente Lula. O Brasil é um país pacífico, democrático, que valoriza o diálogo e a cooperação. Somos referência em energia limpa e renovável, mas não estamos acomodados. Temos fortalecido políticas públicas para avançar na transição energética com atenção aos aspectos sociais desse processo”, enfatizou o ministro, convidando a comunidade internacional para a ministerial do G20, da CEM e da MI em Foz do Iguaçu.

Sobre o encontro em Foz do Iguaçu

Os encontros se darão no contexto da presidência brasileira do G20 em 2024, ano em que ocorrerão diversos eventos internacionais no país, incluindo a reunião de cúpula do bloco. Sobre isso, Silveira também destacou que as discussões sobre energia limpa em Foz do Iguaçu estarão conectadas com as negociações dos acordos climáticos que acontecerão no âmbito da Conferência Mundial do Clima, a COP 30, a ser realizada em Belém, em 2025.

Além da participação de ministros, os eventos de alto nível deverão contar com representantes de organizações internacionais que atuam na liderança da transição energética mundial, tais como Irena (Agência Internacional de Energias Renováveis), IEA (Agência Internacional de Energia), GRA (Global Renewable Aliance), entre outras. Também há forte participação de empresas, instituições de ensino e pesquisa e outras organizações ligadas à energia limpa em eventos paralelos à agenda ministerial.

Para Eleanor Webster, do secretariado da Mission Innovation, as reuniões em Foz do Iguaçu se darão em um momento crítico, em que o mundo caminha para a metade do prazo estabelecido para a implementação de ações concretas para a descarbonização da economia até 2030. Então, os debates deverão atrair muita atenção internacional, na medida em que os países precisarão demonstrar resultados e estabelecer novos compromissos para a segunda metade desta década. “E o apoio da Itaipu será decisivo para o sucesso desses eventos”, destacou.

Foto: Ligia Leite Soares

da Itaipu Binacional