Em Ponta Grossa, nos Campos Gerais, um homem denunciado pelo Ministério Público do Paraná por homicídio qualificado foi condenado em julgamento no Tribunal do Júri a 25 anos de reclusão em regime fechado. Conforme apurado pelo MPPR, ele integra grupo rival de organização criminosa que age a partir de presídios – o crime em questão, ocorrido em outubro de 2021, foi motivado justamente por uma disputa entre facções.

O Júri foi realizado nesta terça-feira, 9 de agosto. Todos os pedidos apresentados pelo MPPR foram acolhidos, sendo reconhecidos pelos jurados as qualificadoras de motivo torpe, meio cruel e recurso que dificultou a defesa da vítima, que foi morta em casa, com mais de 30 tiros, desferidos pelo réu, agora condenado, e por outros dois denunciados, que ainda aguardam julgamento. Por conta dos antecedentes criminais – condenações anteriores e outros processos – não foi concedido a ele o direito de recorrer em liberdade.

Outras mortes – No julgamento, o Ministério Público destacou a série de homicídios violentos ocorridos na comarca a partir de 2019, relacionados diretamente a conflitos do crime organizado pelo comando do tráfico de drogas na cidade – seriam perto de 40 casos conforme levantamento preliminar feito pela 10ª Promotoria de Justiça da comarca. Essa situação levou o MPPR a deflagrar em junho deste ano a Operação Pax, realizada por meio de núcleo de Ponta Grossa do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). Muitos elementos colhidos durante essa ação foram utilizados durante a sessão do Júri.

do MPPR