Os fiéis das Igrejas Católicas poderão retornar às missas a partir desta quarta-feira (27) em Ponta Grossa. A decisão é do bispo Dom Sérgio Arthur Braschi. A retomada das atividades vai seguir as normas de higiene da Organização Mundial da Saúde (OMS) e o decreto municipal 17.293/202 , que estabelece regras para o funcionamento de templos religiosos. Mesmo com a autorização concedida no dia 10 de maio pelo prefeito Marcelo Rangel (PSDB), a Diocese de Ponta Grossa resolveu retornar com as missas presenciais somente nesta semana. A informação foi confirmada pelo padre Edivino Sicuro, da Igreja do Rosário.

Na terça-feira, 19, o Bispo Diocesano Dom Sérgio Arthur Braschi se reuniu com a presidência da Regional Sul 2 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e tomou conhecimento das normas do Governo para reabertura das igrejas, consideradas como serviço essencial. Segundo o Vigário Judicial do Tribunal Eclesiástico da Diocese de Ponta Grossa e Chanceler Diocesano, Padre Athanagildo Vaz Neto, se não houver nenhuma mudança na resolução da SESA, as igrejas serão reabertas gradualmente a partir de quarta-feira em toda a Diocese. Cada paróquia terá que se organizar para a reabertura, se adequando às normas estaduais e municipais e comunicando os horários de missas aos fiéis através de suas páginas nas redes sociais e nos meios de comunicação.

“Nós retornaremos atendendo todas as restrições da Secretaria
de Saúde”, disse o padre Edivino.

Medidas a serem adotadas

Além da capacidade máxima de público de 30%, do distanciamento de 2 metros, da obrigatoriedade do uso de máscaras e da disponibilização de álcool gel, as igrejas deverão disponibilizar cadeiras e bancos de uso individual em quantidade compatível ao número máximo de participantes autorizados para o local. Bancos de uso coletivo devem ser reorganizados e demarcados de forma a garantir que as pessoas se acomodem nos locais indicados, mantendo o afastamento. Os fiéis deverão higienizar as mãos com álcool gel 70%. O produto será disponibilizado em outros pontos dos templos.

Pias destinadas à higiene pessoal deverão estar abastecidas com sabonete líquido, papel toalha, álcool 70% e lixeira sem acionamento manual.
Os responsáveis pelas igrejas terão que fazer o controle de entrada e saída das pessoas. Havendo formação de filas, deve haver demarcação para manutenção do distanciamento de 2 metros. Contatos físicos, como dar as mãos, beijos, abraços, apertos de mão e outros devem ser evitados.

Cartazes com as regras de funcionamento dos templos e com medidas para prevenção do Coronavírus devem ser afixados em locais estratégicos. Estas informações também devem ser compartilhadas nas redes sociais, grupos de WhatsApp e outros meios. Idosos com mais de 60 anos e pessoas do grupo de risco, como hipertensos, diabéticos, gestantes e outros devem permanecer em casa e acompanhar as celebrações pelos meios de comunicação, como rádio, TV e internet.

Atendimentos individualizados devem ser pré-agendados. Durante os mesmos, deve ser mantido o distanciamento de 2 metros entre as pessoas. Deverá ser respeitado um intervalo de 15 minutos entre os atendimentos para desinfecção do local.

Igrejas e congregações que celebram a Eucaristia ou a Ceia devem se adaptar às novas determinações. Os elementos deverão ser entregues aos fiéis na mão e não na boca.

Cantos com louvores devem ser evitados. Se possível, eles devem ser substituídos por músicas eletrônicas ou instrumentais. O uso de microfones e instrumentos musicais será individual. Os materiais devem ser desinfetados após cada uso.
As contribuições financeiras devem ser feitas de forma a não haver contato físico entre fiéis e celebrantes, podendo ser utilizada caixa fixa ou meios eletrônicos.

A SESA também proibiu a utilização de dispensadores de água benta, de bebedouros e o uso compartilhado de materiais como bíblia, revista, rosário, folheto, entre outros.

Texto: D’Ponta News com Najuá.