Os servidores e funcionários do Hospital Universitário da UEPG, do Hospital Santa Casa de Ponta Grossa e  da Prefeitura Municipal de Ponta Grossa estão sendo atendidos por uma iniciativa do Programa UEPG Abraça, Residência Multiprofissional em Saúde Mental e serviço de Psicologia do HU. O atendimento é realizado por psicólogos, assistentes sociais e enfermeiros.

“Os profissionais estão realizando ações de saúde mental junto aos trabalhadores, para o enfrentamento da Covid 19, através de apoio individual, psicoterapia breve e atendimentos por telefone”, conta a coordenadora do Programa UEPG Abraça, professora Lara Messias Floriano. O objetivo é diminuir o impacto do estresse, fortalecer a saúde mental e, consequentemente, proporcionar um melhor preparo diante da epidemia.

O professor Miguel Sanches Neto, reitor da UEPG, destaca a importância da iniciativa. “Esse é um momento em que a universidade, através de seus projetos, está totalmente voltada para a comunidade como um todo. É uma ação extremamente importante: dar atendimento psicológico aos profissionais da linha de frente, que atuam no combate ao coronavírus”, enfatiza.

Como conta o vice-reitor da UEPG, professor Everson Krum, o apoio psicossocial é fundamental para superar dificuldades em tempos de crise. “As equipes que atuam em estabelecimentos hospitalares estão acostumadas com dificuldades e atendimentos estressantes. Porém, neste caso do Covid 19, talvez a maior dificuldade seja vivenciar o distanciamento de suas famílias e entes queridos”, assinala.

Para ter acesso às atividades, os trabalhadores devem agendar os horários. O atendimento é gratuito e sigiloso. “Diversos órgãos nacionais e internacionais vêm demonstrando preocupação com o impacto à saúde mental provocado pelo isolamento em quarentena, pela incerteza social e econômica e, principalmente, pela pressão que os profissionais que estão na linha de frente no enfrentamento ao COVID-19 vivenciam nesse momento”, reforça Lara. “Nesse contexto, é fundamental o direcionamento dos profissionais em saúde mental para que contribuam com a minimização do sofrimento da comunidade”.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) elaborou um guia para orientar os cuidados à saúde mental de grupos, como os profissionais de saúde, durante o período de emergência sanitária. Segundo a OMS, os trabalhadores da saúde são um grupo vulnerável, afetado pelo estresse e pressão, além do risco de adoecer.

Imagens/informações: UEPG