Com as eleições municipais se aproximando, surge também a expectativa pela propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão. O Horário Eleitoral no primeiro turno inicia em 9 de outubro e encerra-se em 12 de novembro, ao todo, serão dois blocos de 10 minutos diários que são distribuídos das 7h às 7h10 e das 12 às 12h nas emissoras de rádio, e das 13h às 13h10 e das 20h30 às 20h40 na televisão. Também há 70 minutos diários de inserções, distribuídos entre todo o dia, que variam de 30 segundos a um minuto. Este tempo será dividido em 60% para os candidatos a prefeito e os outros 40% para os postulantes à Câmara de Vereadores.

Lembrando que esses números podem sofrer alterações devido às regras do TSE. Segundo estimativas, em Ponta Grossa, o candidato Márcio Pauliki (SD), terá 3 minutos e 24 segundos, o maior tempo entre os cinco candidatos ao Palácio da Ronda. A coligação ‘União de Forças por Ponta Grossa’ conta com os seguintes partidos: Solidariedade, PROS, PRTB, DEM, PSL, Patriotas, PL, PTB e PTC. Na sequência aparece Mabel Canto (PSC), que provavelmente terá 3 minutos e 16 segundos. A coligação ‘Ponta Grossa em Primeiro Lugar’ conta com os partidos, PSC MDB, PP, PDT, PMB, Cidadania e Podemos.

Já a candidata Professora Elizabeth Schimdt, do PSD, de acordo com os cálculos, teria 1 minuto e 38 segundos. A candidata encabeça a coligação ‘Somos Todos Ponta Grossa’, que conta com os partidos, PSD PSDB, PV e Avante.

Professor Edson (PT) terá 1 minuto e 21 segundos, ele é candidato pela coligação ‘Ponta Grossa uma cidade para você’, que conta com os partidos PT e PCdoB. Por fim, o candidato Professor Gadini (PSOL), partido que concorre com chapa pura, terá um tempo estimado em 21 segundos.

O tempo de propaganda eleitoral é estimada de acordo com a representatividade dos partidos políticos na Câmara dos Deputados em relação à eleição de 2018. Por isso, legendas como o Partido dos Trabalhadores (PT) e o Partido Social Liberal (PSL), mantém o maior tempo de campanha no rádio e TV por serem respectivamente as duas maiores bancadas da Câmara em Brasília. Ao todo, 23 dos 33 grupos políticos possuem tempo no horário eleitoral gratuito em virtude dessa representatividade na Câmara Federal. Em Ponta Grossa apenas um partido político (PSOL) não fez coligação para as eleições, sendo assim, o mesmo não contribui com tempo de TV e rádio.

Divulgada a tabela para divisão do tempo do horário eleitoral nas Eleições 2020

Em Curitiba, acontece nesta sexta-feira (02), às 14h, reunião com partidos políticos e emissoras de rádio e TV para discutir o plano de mídia. Porém, já está disponível para consulta a tabela com a representatividade dos partidos políticos na Câmara dos Deputados que serve de base de cálculo para a distribuição do tempo da propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão nas Eleições 2020.

A propaganda eleitoral gratuita para o primeiro turno, que acontece em 15 de novembro, será veiculada de 09 de outubro a 12 de novembro. Para prefeito, a propaganda será exibida de segunda a sábado, das 7h às 7h10 e das 12h às 12h10 no rádio, e das 13h às 13h10 e das 20h30 às 20h40 na televisão. Para vereador, haverá somente inserções no rádio e na TV de segunda a sábado.

Em Curitiba, acontece nesta sexta-feira (02/10), às 14h, reunião com representantes de partidos políticos e de emissoras de rádio e televisão para discutir o plano de mídia e a divisão do horário eleitoral para as Eleições 2020. Na capital, a reunião é presidida pelo doutor Rodrigo Peluso Júnior, juiz da 177ª Zona Eleitoral.

Confira as zonas eleitorais responsáveis pelo plano de mídia

Confira a relação completa das zonas eleitorais do Paraná

Representatividade

Conforme a Portaria TSE nº 722/2020, publicada nesta sexta-feira (25) no Diário da Justiça eletrônico, a legenda com mais representatividade é o Partido dos Trabalhadores (PT), com 54 deputados federais eleitos em 2018 e que serão considerados para a bancada do horário eleitoral.

Em seguida, o Partido Social Liberal (PSL), com 52 deputados federais, e o Progressistas (PP), com 38 parlamentares.

Para o cálculo, os suplentes de deputados federais não foram considerados em nenhuma hipótese. Portanto, em caso de falecimento ou renúncia do titular, a representação a ser considerada será da bancada pela qual foram eleitos no último pleito.

Além disso, em relação àqueles deputados que trocaram de partido, foram levadas em consideração somente as mudanças de filiação informadas à Justiça Eleitoral por meio do sistema FILIA.

Já a nova conjuntura partidária foi levada em consideração no caso de fusões ou de incorporações. Este, por exemplo, é o caso do partido Podemos (PODE), em que foram acrescidas seis cadeiras obtidas pelo Partido Humanista da Solidariedade (PHS), uma vez que o PHS foi incorporado ao PODE em setembro de 2019.

Cálculo

A Portaria segue critérios previstos na Lei das Eleições e na Resolução TSE n 23.610/2019, que preveem a divisão da seguinte forma: do total do tempo de propaganda, 90% serão distribuídos proporcionalmente ao número de representantes que os partidos tenham na Câmara Federal. Os 10% restantes serão distribuídos igualitariamente entre todos os partidos.

A norma prevê ainda que nas eleições municipais, o tempo será dividido na proporção de 60% para a propaganda de candidatos a prefeito e 40% para a propaganda de vereadores.

Somente os partidos que nas Eleições 2018 atingiram a cláusula de desempenho instituída pela emenda Constitucional  nº 97/2017 terão acesso ao horário eleitoral gratuito. Desta forma, para 2020 os partidos PMN, PTC, DC, Rede, PCB, PCO, PMB, PRTB, PSTU e UP ficarão sem o acesso.

Confira os números atualizados na íntegra da Portaria.

Com informações: TRE/Imagem: D’Ponta News