Um homem de 46 anos foi preso na tarde desta segunda-feira (6), pela Polícia Civil de Rebouças. Ele é suspeito de estupro de vulnerável contra uma adolescente de 14 anos. Segundo a Polícia, a vítima tem diagnóstico de “retardo mental moderado” e teria fugido de casa para morar com o homem no mês de janeiro.

A denúncia chegou ao conhecimento da Polícia Civil após informações repassadas pelo Conselho Tutelar, informando que uma menina de 14 anos, acompanhada de um homem de 46, teria comparecido no dia 01/11/2023 à sede da referida instituição, buscando informações sobre a realização de matrícula escolar da vítima.

Na ocasião, foram informados que caberia aos pais da adolescente tal providência, ocasião em que informaram que ambos seriam conviventes. Ainda na quarta-feira (1º), o Conselho Tutelar teria sido procurado pela Delegacia de Proteção à Pessoa de Curitiba e pela mãe da vítima, tendo sido repassada a informação de que havia sido registrado um Boletim de Ocorrência de desaparecimento pela mãe da vítima, em 28 de janeiro de 2023, no qual constava a informação de que a vítima teria afirmado antes do desaparecimento que fugiria com o homem de 46 anos.

Também foi informado pela mãe da adolescente, que ela teria sido diagnosticada com “retardo mental moderado”, o que foi comprovado com a cópia do laudo e do Boletim de Ocorrência ao Conselho Tutelar.

Diligências em Rebouças

A Delegacia de Polícia de Rebouças foi formalmente comunicada, com os documentos acima mencionados, nesta segunda-feira (06/11/2023). Diante dos fatos, o Delegado de Polícia de Rebouças, acompanhado de agentes de Polícia Judiciária, assistente social e psicóloga do CREAS e conselheiros tutelares, foi à residência do autor a fim de averiguar a situação.

Ao chegar no endereço, o suspeito não se encontrava. Contudo, a adolescente atendeu o conselheiro tutelar presente e disse que morava ali com seu ‘marido’ desde janeiro e que ele estaria trabalhando como motorista de aplicativo. O contato com a adolescente foi realizado pelas funcionárias do CREAS, que encaminharam a vítima para ser atendida adequadamente pelos profissionais.

Por volta das 16h, compareceram vítima e autor ao CREAS, tendo sido realizada entrevista, na qual ficou confirmado o convívio de ambos, desde janeiro. Diante de todas essas informações, o Delegado de Polícia entendeu presentes os elementos configuradores do delito de estupro de vulnerável, em razão do diagnóstico da vítima de retardo mental moderado.

Com isso, foi dada voz de prisão ao autor, o qual foi conduzido à Delegacia de Rebouças, onde foram realizados os procedimentos de Polícia Judiciária, e posteriormente encaminhado à Cadeia Pública de Irati.

Com informações da PCPR