Uma família de líderes religiosos é alvo, na manhã desta sexta-feira (23), de uma operação contra trabalho análogo à escravidão infantil em Maringá, no norte do Paraná.

Segundo a Polícia Civil, um casal e o filho, todos apontados como líderes de uma igreja, são alvos de mandados de prisão preventiva. Também estão sendo cumpridos três mandados de busca e apreensão.

A família é suspeita de ter explorado o trabalho de ao menos cinco crianças e adolescentes na venda de pizzas produzidas pela igreja. De acordo com a polícia, as crianças eram agredidas e submetidas a “trabalho forçado, com jornada excessiva”.

Uma das vítimas, de 13 anos, foi tirada da família e colocada para trabalhar como doméstica na casa dos suspeitos, segundo a polícia.

Conforme a denúncia, as vítimas eram atraídas pela família sob o argumento que o dinheiro das pizzas seria doado para crianças com câncer.

As agressões, físicas e verbais, ocorriam durante as cobranças às crianças, para prestação de contas das vendas. Pais também foram ameaçados ao contestar os métodos do grupo, segundo as investigações.

A reportagem tenta contato com a Igreja das Nações da Poderosa Mão de Deus.

do G1