A pedido do D’Ponta News, a Viação Campos Gerais se manifestou na tarde desta quarta-feira, 17, sobre a determinação para interromper o transporte coletivo entre os dias 18 e 29 de março. A medida faz parte das restrições anunciadas ontem (16) pela prefeita Elizabeth Schmidt.

Segundo a nota, a VCG afirma que, com a interrupção do transporte, não terá condições de pagar a segunda parcela dos salários dos colaboradores, prevista para dia 25 de março. “Fato é que tendo em vista a situação da interrupção das atividades da empresa causando equivalente impacto na receita, a VCG não terá condições de arcar com a segunda parcela dos salários dos colaboradores prevista para o próximo dia 25.”

Leia a nota na íntegra.

NOTA VCG

Recebemos com preocupação a decisão de interrupção total do serviço de transporte coletivo.

Sabemos que a situação da pandemia pelo COVID-19 é grave e exige medidas rígidas.

Estamos ainda buscando entender a extensão das repercussões e trabalhando com afinco para garantia da continuidade de nossa operação, hoje bastante ameaçada e incerta.

Tão logo tenhamos uma posição da Prefeitura a respeito de nossos serviços e, especialmente, sobre o custeio dos custos fixos, o que inclui o pagamento dos salários, informaremos a todos os colaboradores.

Fato é que tendo em vista a situação da interrupção das atividades da empresa causando equivalente impacto na receita, a VCG não terá condições de arcar com a segunda parcela dos salários dos colaboradores prevista para o próximo dia 25.

De nossa parte, estamos trabalhando para continuar operando.

A respeito das atividades de cada colaborador, esclarecemos que acordo com o Decreto Municipal, as atividades da VCG estão paralisadas do dia 18 ao dia 28, período no qual os funcionários não deverão comparecer ao trabalho.

O D’Ponta News tentou contato com Luiz Carlos de Oliveira, o Luizão, presidente do Sintropas, que afirmou estar em reunião e pediu retorno mais tarde.

informações\imagem