Um Projeto de Lei que tramita na Câmara dos Deputados, de autoria do deputado Gildenemyr (PL-MA), obriga a instalação de equipamentos de desinfecção individual na entrada de locais com intensa circulação de pessoas em municípios com mais de 50 mil habitantes. A regra, que vale para locais públicos e privados, estabelece a colocação de uma espécie de ‘túnel’ onde as pessoas passam antes de adentrar em locais considerados como de alto risco de infecção.

No entanto, o médico infectologista Gerson Czelusniak, afirma que o equipamento não tem qualquer eficácia comprovada. “Com a pandemia, esse equipamento tornou-se conhecido na sociedade. Porém, posso afirmar categoricamente que esses equipamentos não funcionam. Não há nenhuma eficácia comprovada por parte deles, nem nada que indique o uso. Por exemplo, a pessoa que está infectada, já está infectada, já é um potencial transmissor do vírus independente dessa máquina ou não. Além disso, ela não vai imunizar ninguém”, relata.

Médico infectologista, Dr. Gerson Czelusniak

O infectologista ainda critica o uso do equipamento de desinfecção individual por parte do poder público de alguns estados e municípios. “Não serve para nada, essa é mais uma bobagem que surgiu durante a pandemia, tem um grande lobby atrás disso, coisa de gente que não está preparada para gerir a coisa pública e acaba desperdiçando o dinheiro público”, conclui.

De acordo com Gerson, os métodos já conhecidos por todos são os mais eficazes e capazes de proteger o cidadão da infecção. “Distanciamento social, máscara, higienização constante das mãos com álcool em gel. Essas sim são atitudes que funcionam e que ajudam o cidadão a se proteger da infecção”, reitera o médico.

Por: Matheus Fanchin | Foto: Grupo Philus/UEPG