Deputado federal é pré-candidato do PSB e fala sobre planejamento para a disputa de outubro

Nesta quarta-feira (26), o Jornal da Manhã e do portal aRede estrearam uma versão especial do podcast ‘TánaRede’. A primeira edição da versão ‘Eleições 2020’ apresenta uma entrevista com o deputado federal Aliel Machado (PSB), pré-candidato ao cargo de prefeito de Ponta Grossa em 2020. Aliel já disputou o cargo em 2016 e, quatro anos depois, pode efetivar o sonho de se tornar prefeito de Ponta Grossa.

Ao ser questionado sobre a pré-candidatura pelo jornalista Gabriel Sartini, Aliel foi taxativo. “Nós estamos trabalhando, temos um projeto de partido, acho fundamental lembrar que ninguém é candidato de si próprio. Essa é uma decisão [de ser candidato ou não] que está sendo amadurecida. Existem áreas importantes que precisam ser debatidas, hoje sou pré candidato”, garantiu o deputado federal.

Ao falar sobre as motivações, Aliel lembrou que o cargo de prefeito é aquele “mais próximo” da população. “Não é só questão de vontade pessoal [de ser prefeito], é o cargo mais próximo da população… Muitas vezes eu me sinto de mãos atadas, eu não posso fazer nada para situações muito graves na cidade, mesmo tendo a força e um deputado federal. Ser prefeito é estabelecer prioridades, a cidade precisa crescer e desenvolver e um pequeno grupo de interessados não pode ser o mais beneficiado, a cidade deve ser governada pelo povo de verdade”, disse.

Aliel lembrou ainda que “sempre enfrentou o sistema político”. “Enfrento o sistema desde que entrei na política e continuo fazendo isso. Acredito que a Prefeitura de Ponta Grossa precisa de alguém com esse tipo de atitude, com esse tipo de postura”, disse Machado. Já ao falar sobre a composição de coligações, Aliel garantiu que não fará “trocas”, mas sim coligações e parcerias baseadas em programas e propostas.

Caso Aliel confirme a candidatura e seja eleito em outubro, ele teria que deixar o cargo de deputado federal para assumir o posto de prefeito. Ao ser questionado sobre essa possibilidade, Aliel lembrou que isso não seria novidade para a história recente da cidade. “Os ex-prefeitos Péricles e Jocelito eram deputados quando se elegeram prefeitos, o mesmo aconteceu com o atual prefeito [Marcelo Rangel]. Muitos me atacam por isso porque não tem o que dizer sobre mim”, disse.

Aliel lembrou ainda que é o candidato mais preparado para buscar recursos em Brasília. “Estou na Câmara há anos, sei o caminho para buscar os recursos. Sei que a Prefeitura tem que ter certidão negativa para receber os recursos, literalmente sei o caminho do tesouro”, parafraseou o deputado federal do PSB. “Mais de 67% dos recursos políticos estão concentrados em Brasília, é preciso ter trabalho técnico”, contou Aliel.

Carreira na política

Aliel entrou na política oficialmente em 2012, quando foi eleito vereadores ainda pelo PCdoB obtendo mais de três mil votos – na época, o jovem de 23 anos surpreendeu pela votação e também pelo bom desempenho mesmo em um partido de esquerda. Aliel já era dono de uma carreira de militância na política estudantil e já havia disputado o cargo de vereador em 2008.

Logo em seguida, o então vereador foi eleito presidente do Legislativo Municipal em uma disputa conturbada e, entre 2013 e 2014, implementou medidas de austeridade na Câmara.

Ainda em 2014, Aliel se envolveu em uma polêmica ao propor um subsídio ao transporte coletivo que estava em greve há 21 dias – o recurso utilizado para bancar o subsídio foi oriundo de economias feitas no próprio Legislativo. No mesmo ano, o então vereador decidiu ser candidato ao cargo de deputado federal ainda pelo PCdoB e foi eleito com mais de 80 mil votos – 61 mil deles obtidos apenas em Ponta Grossa.

Primeiro mandato e reeleição

Em 2015, Aliel chegou à Brasília em meio a um turbilhão: o governo de Dilma Rousseff (PT) iniciava uma derrocada definitiva e o clima no Congresso era dos piores. Além disso, Aliel protagonizou um embate com o então presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (na época no MDB). O deputado amargou o desgaste de votar contra o impedimento da presidente, cobrando novas eleições.

Em 2018 e já filiado ao PSB, Machado disputou a reeleição e, mesmo diminuindo os votos conquistados em Ponta Grossa, ampliou a votação total para mais de 95 mil votos em várias cidades do Paraná se fortalecendo como liderança de centro-esquerda.

 

Fonte:  https://d.arede.info/ponta-grossa/314951/e-o-cargo-mais-proximo-da-populacao-diz-aliel-sobre-pre-candidatura