Utilização de veículos oficiais para uso particular, concessões de licenças ambientais suspeitas e outras denúncias envolvendo a Secretaria de Desenvolvimento Sustentável e do Turismo motivaram, esta semana, os deputados estaduais Requião Filho (MDB) e Tadeu Veneri (PT) a elaborar um requerimento protocolado na Assembleia Legislativa do Paraná. As denúncias chegaram aos parlamentares de diferentes fontes e apontam graves irregularidades no comando da pasta. Há informações que sugerem desde a facilitação de liberações de caminhões pipa para atender propriedades de interesse privado, protocolos suspeitos envolvendo áreas ambientais protegidas e até uso de helicópteros pagos pelo Estado para benefício de particulares.

Nos questionamentos descritos pelos deputados, há também a solicitação de informações a respeito da doação de respiradores pela empresa Engie, que teriam sido entregues diretamente ao hospital onde a filha do Secretário trabalha em Campo Mourão, sem qualquer procedimento registrado na Corregedoria Geral do Estado.

“Esta empresa teria doado estes respiradores com que interesse? Para facilitar talvez alguma liberação ambiental de construção nas áreas questionadas na justiça da escarpa devoniana?”, questiona Requião Filho.

Os deputados acreditam que os interesses do governo em desburocratizar certos protocolos, podem gerar graves prejuízos ao Estado, se não forem devidamente fiscalizados. Por isso, também querem cópia dos licenciamentos ambientais existentes e questionam se houve algum pedido de providências em defesa da escarpa devoniana, que passa por entraves judiciais envolvendo justamente os interesses da empresa Engie.

“A relação com a empresa Engie e suas doações a hospital da base política do secretário, o uso de veículos e aluguel de helicóptero para a Secretaria, licenciamentos de PCHs sem audiências públicas… o que de fato está ocorrendo nesta Secretaria? Precisamos esclarecer todas estas questões, porque envolvem o uso de equipamentos e recursos públicos, além de direcionamento de verbas para fins eleitorais”, afirmou o deputado Tadeu Veneri.

Da Assembleia legislativa.