A Associação Médica Brasileira publicou uma nota oficial esta semana, recomendando que remédios como a hidroxicloroquina e ivermectina sejam “banidos”do tratamento para a Covid-19, por terem ineficácia comprovada contra a doença. Ainda assim, muitos médicos e grupos da sociedade civil, seguem com a prescrição do chamado Kit Covid.

Um desses grupos, associado ao Programa do Voluntariado Paranaense – o Provopar, intitulado “Programa Sociedade Contra o Covid”, começou a oferecer esta semana em Curitiba um atendimento diferenciado e gratuito à população carente. Questionado por um seguidor nas redes sociais, o órgão confirmou – ainda que de maneira genérica – a possibilidade de indicação dos remédios não autorizados e a atitude logo chamou a atenção das autoridades.

 

O Deputado Estadual Requião Filho foi um deles que, imediatamente protocolou pedidos de informações ao Provopar e ao Chefe da Casa Civil, uma vez que a entidade é ligada ao Governo do Estado. Em resposta, o Provopar afirmou não haver outras entidades participando do referido Programa, enaltecendo que esta é uma iniciativa própria, e nem oferecer tratamento precoce. Afirmou que está oferecendo consulta médica gratuita para casos de Covid, alegando ser este um “gesto solidário pela sobrevivência da população e baixa renda durante a pandemia”.

A nota afirma ainda que não há protocolo estabelecido pela entidade, mas que, os 20 médicos voluntários que se revezam nos atendimentos, têm autonomia para receitar o que quiserem e ainda ofertarem os remédios gratuitamente. O documento foi encaminhado ao Ministério Público, que deve investigar o caso. A Casa Civil ainda não encaminhou resposta ao gabinete do Deputado.

Por: Requião filho.