Com a pandemia do novo coronavírus, muita coisa mudou na rotina de diversos setores.  E no setor penitenciário não foi diferente. Sem casos ou óbitos contabilizados até o presente momento, a Cadeia Pública Hildebrando de Souza e a Penitenciária Estadual de Ponta Grossa vêm tomando os devidos cuidados com a higiene para evitar a contaminação dos presos e dos agentes penitenciários. O D’Ponta News conversou com o Depen-PR (Departamento Penitenciário do Paraná) para saber o que mudou na rotina das cadeias de Ponta Grossa.

Medidas rigorosas desde março

As visitas às unidades prisionais do Paraná, assim como a entrada de sacolas ou de pessoas que não são servidoras do Depen-PR, estão suspensas desde o dia 20 de março. O objetivo é evitar a disseminação do vírus no sistema penitenciário. Segundo o Departamento, por meio de assistentes sociais, familiares e presos recebem constantemente informações uns dos outros.

Durante o período da pandemia, também não estão sendo recebidos alimentos ou outros produtos que geralmente são entregues em sacolas. Com os devidos cuidados de higiene, podem ser entregues remédios de uso contínuo e para o combate de doenças crônicas através dos Correios. As medidas adotadas foram acordadas em diversas reuniões conjunto entre as secretarias estaduais da Segurança Pública e da Saúde, os servidores do Departamento Penitenciário e o Sindicato dos Policiais Penais do Paraná (Sindarspen).

Suspensão de atividades

Estão suspensas as atividades da Escola de Formação e Aperfeiçoamento Penitenciário (ESPEN), assim como as aulas e demais atividades culturais e educacionais. Já as desenvolvidas pelo serviço social e as de trabalho no interior das unidades serão mantidas, seguindo criteriosos protocolos de higienização e distanciamento.

Atividades mantidas

O atendimento nos Postos Avançados de Monitoração foram mantidos por serem considerados essenciais, com possível adoção de escalas e horários diferenciados de trabalho, a fim de reduzir a concentração de pessoas nos setores de trabalho. Além disso, há um ‘Gabinete de Crise’, formado por gestores das unidades e das equipes da saúde. O grupo é responsável por tomar todas as decisões na área da saúde na unidade.

Presos estão fabricando itens de proteção em todo o Estado; PG é destaque

Além disso, como medida emergencial, presos de 23 unidades prisionais do Estado, penitenciárias e cadeias públicas, estão produzidos diariamente mais de 10 mil itens de proteção contra a Covid-19. Ponta Grossa foi a cidade com maior produção em maio, com 69.056 máscaras confeccionadas no mês..

Estes produtos não só atenderam a demanda interna do Departamento Penitenciário, como também já estão sendo distribuídos também para instituições de saúde e segurança pública (como polícias Civil e Militar e guardas municipais) de todo o Paraná.

Presos que apresentarem sintomas

Caso algum dos presos apresentem sintomas, estes serão colocados em locais separados, onde permanecerão em isolamento. Se algum sintoma real da infecção de Covid-19 é apresentado, o preso recebe prioridade e maior atenção das equipes de saúde. O Hospital Penitenciário, que fica no Complexo Médico Penal em Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba (CMP), é a unidade referência para o atendimento de presos com o coronavírus.

Cadeia de Ponta Grossa cumpre com todos os protocolos

Para o diretor da Cadeia Pública Hildebrando de Souza, Mauricio Ferracini dos Santos, a cidade vem se mostrando eficaz no cumprimento das normas de combate ao coronavírus estabelecidas pelo Estado. “Na Cadeia Pública, nós estamos conseguindo cumprir com todos os protocolos que vem sendo instruídos”, relembra. “Nós estamos conseguindo fazer de forma bem organizada essa entrada, ou seja, o ingresso, dos servidores, dos materiais, e especialmente também dos presos que chegam”, conclui.

Confira o áudio do diretor da Cadeia Pública Hildebrando de Souza, Mauricio Ferracini dos Santos, sobre o tema:

Nesta semana, a Cadeia Pública de Toledo confirmou que mais de 140 detentos estão contaminados com a Covid-19. Clique aqui e leia a matéria completa.

Por: Matheus Fanchin/Com Informações/Áudio: Depen/Foto: Google Street View