O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) recriou o Ministério da Trabalho e Previdência e oficializou a nomeação de Onyx Lorenzoni para o cargo de ministro da pasta. Ciro Nogueira (PP-PI) também foi oficializado no cargo de ministro-chefe da Casa Civil. As nomeações constam no Diário Oficial da União (DOU) desta quarta-feira (28).

Entre as mudanças ministeriais consta também a nomeação do general Luiz Eduardo Ramos no cargo de ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República. Antes, o general Ramos esteve à frente da Casa Civil, mas segundo Bolsonaro, ele tinha dificuldade com o “linguajar” do Parlamento.

As trocas foram confirmadas nesta terça-feira (27). O senador Ciro Nogueira se reuniu com Bolsonaro durante a manhã e confirmou que assumiria a Casa Civil.

“Acabo de aceitar o honroso convite para assumir a chefia da Casa Civil, feito pelo presidente Jair Bolsonaro. Peço a proteção de Deus para cumprir esse desafio da melhor forma que eu puder, com empenho e dedicação em busca do equilíbrio e dos avanços de que nosso país necessita”, escreveu o senador no Twitter.

Ciro deverá buscar reconciliação com o Judiciário e se tornar um novo interlocutor entre o Executivo e o Supremo Tribunal Federal (STF). Segundo informações do analista de política da CNN Caio Junqueira, Ciro terá aval político para as negociações em nome do governo com o Congresso, Judiciário e partidos.

Pouco após a reunião com o presidente que confirmou sua ida à Casa Civil, Ciro postou uma foto ao lado dos ministros Fábio Faria (Comunicações), Eduardo Ramos (atual Casa Civil), Flávia Arruda (Secretaria de Governo), do presidente Jair Bolsonaro e do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL).

“Muito feliz em fazer parte desse grande time de ministros, trabalhando unidos, sob a liderança do presidente Jair Bolsonaro, pelos brasileiros. Tenho certeza também de que contaremos com o apoio do meu querido amigo Arthur Lira, presidente da Câmara dos Deputados, nessa honrosa missão”, escreveu o parlamentar nas redes sociais.

Também pelas redes sociais, Ramos desejou sucesso a Ciro na Casa Civil. O general confirmou que seguirá “em nova missão determinada pelo PR [presidente] na Secretaria-Geral”. As mudanças fazem parte da reforma ministerial anunciada por Bolsonaro na última semana.

Segundo ele, a aproximação com o Centrão se dá “pela governabilidade”. O PP é considerado um partido do chamado Centrão. Para Bolsonaro, a classificação é “pejorativa”.

Ao confirmar Ciro Nogueira na Casa Civil, Bolsonaro afirmou que o Partido Progressistas, que pertence ao Centrão e é presidido nacionalmente por Ciro, passa a ser uma possibilidade de filiação para uma provável disputa das eleições em 2022.

da CNN Brasil