O custo da cesta básica em Ponta Grossa chega a R$ 752,73 em fevereiro. O cálculo é resultado de uma pesquisa realizada pelo Núcleo de Economia Regional e Políticas Públicas da Universidade Estadual de Ponta Grossa (Nerepp-UEPG), que considera o preço dos produtos no serviço delivery dos supermercados. Pelo terceiro mês seguido, a batata foi o produto que ficou mais caro, com uma alta de 37,97% no preço. O tomate ficou mais barato e o preço baixou em 29,86%.

No grupo “alimentação geral” (+1%), o preço do café aumentou em 5,94% e do macarrão diminuiu em 2,03%. O grupo “hortifrutigranjeiros” ficou 0,56%, em razão das alterações nos preços da batata e do tomate. Já o grupo “higiene” aumentou em 0,48%, em que o xampu ficou mais caro (6,51%) e o papel higiênico mais barato (3,57%).

No grupo “carne” (-0,63%), a carne bovina teve o maior aumento (3,41%), enquanto a carne de frango teve maior queda (10,45%). O preço do grupo “limpeza” diminuiu em 2,66%, o produto que ficou mais caro foi o desinfetante (+6,21%), enquanto a esponja ficou mais barata (-18,88%). A pesquisa aferiu um aumento geral de 0,23% e a cesta básica passa a custar 68,43% do salário mínimo (R$ 1.100).

O estudo caracteriza o consumo básico de alimentação, higiene e limpeza de famílias com 3 membros em média, com renda de 1 a 5 salários mínimos e residentes em Ponta Grossa. O Índice Cesta Básica (ICB) não é um aferidor de inflação é um índice exclusivo para representar as compras feitas no município.

da UEPG  Foto: Gilson Abreu/AEN