Os alvos das prisões preventivas foram quatro empresários e um vereador (relator da Comissão Parlamentar de Inquérito instalada na Câmara sobre o assunto). A prisão temporária, por cinco dias, foi decretada contra o presidente da Autarquia Municipal de Trânsito de Ponta Grossa e contra um vereador, que atuava como presidente da CPI.

A assessoria do vereador Ricardo Zampieri emitiu um comunicado oficial sobre as ações desta terça-feira (15).

Confira a nota abaixo:

A assessoria de imprensa do vereador Ricardo Zampieri informa que, como Presidente da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito), que investiga o Estar Digital em Ponta Grossa, o parlamentar cumpriu com sua obrigação, durante toda a investigação, conforme o Regimento Interno e Lei Orgânica do Município.

Ao final,  foi confeccionado o Relatório e assinado  pelos  Vereadores que compunham a citada CPI, onde foram mencionados todos os fatos apurados durante as investigações e também anexadas toda documentação levantada durante o processo.

Ao fim da CPI, encaminhou o processo ao Ministério Público, para as providências conforme o Regimento Interno e Lei Orgânica do Município. O vereador Ricardo Zampieri nega veementemente qualquer tipo de irregularidade, desvio de conduta ou possível fraude. Ressalta-se ainda que o mesmo, como presidente da CPI, foi o responsável pelas denúncias de possíveis irregularidades, que resultaram na instauração da Comissão de Investigação.

Todos os esclarecimentos serão prestados junto às autoridades em exercício nessa operação do GAECO.

Leia também: https://dpontanews.com.br/geral/prefeitura-de-pg-emite-nota-a-respeito-da-operacao-do-gaeco-na-cidade/

Da Assessoria.