A diretoria da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) negou, por unanimidade, o uso da CoronaVac para crianças e adolescentes entre 3 e 17 anos.

Para a relatora Meiruze Freitas, o Instituto Butantan precisa produzir mais dados sobre eficácia e segurança da vacina para o público-alvo. Os diretores Rômison Rodrigues, Alex Machado, Cristiane Rose Jourdan e o diretor-presidente Antonio Barra Torres acompanharam o voto da relatora.

Meiruze considerou “insuficientes” os dados apresentados pelo Butantan sobre o uso da CoronaVac em crianças. “Não é possível conhecer e estabelecer um perfil de segurança em crianças, especialmente as reações adversas raras. Os dados foram considerados insuficientes para suportar a solicitação de ampliação de uso, estabelecer perfil de segurança ou conhecer potencial de proteção nessa população, o que leva a conclusão que a relação benefício/risco é desfavorável no momento.

Em seu voto, a relatora também disse que o Butantan não comparou dados de imunogenicidade da faixa etária pediátrica com a população adulta. Para Meiruze, a ausência é um fator limitante. “Os dados poderiam reduzir a incerteza sobre a eficácia esperada na população pediátrica”,

Leia mais em UOL. Foto Hélia Scheppa