Após um mandato desafiador, tomado, em grande parte, pelo período pandêmico, o deputado federal Aliel Machado (PV) traça como prioridade da próxima legislatura o que chama de “combate à desigualdade”, que seria a reforma tributária. O candidato concedeu entrevista ao programa Manhã Total, apresentado por João Barbiero, na Rádio Lagoa Dourada FM (105,9 para Ponta Grossa e região e 90,9 para Telêmaco Borba), desta segunda (26).

“A reforma tributária é a mãe de todas as outras reformas, porque ela influencia em todas as áreas. Nosso país é muito injusto e penaliza muito nossos funcionários públicos, o trabalhador, o professor, o pequeno e médio empresário. Nosso sistema tributário é muito injusto”, ressalta.

O deputado federal acredita que a reforma tributária pode reduzir essa “desigualdade” e melhorar índices de educação, de segurança, de assistência social, de emprego e de todas as outras áreas. O parlamentar destaca que mesmo as pessoas mais pobres são afetadas pela falta da reforma tributária, porque há encargos em todos os produtos e serviços que consumimos.

Segundo Aliel, a discussão da reforma tributária não avançou na atual legislatura “porque o Congresso é muito fragmentado, porque há muitos interesses e uma influência muito grande de setores lá dentro”, atribui. De acordo com o deputado federal, “combater a desigualdade significa que aqueles que não estão pagando o que deveriam pagar vão ter que começar, para que os que pagam muito paguem um pouco menos”, avalia.

A pauta não avança em função de lobistas, na visão do deputado, que se unem em prol dos próprios interesses.

O parlamentar acredita que, independente de quem vença a eleição para presidente da República, o deputado não pode ser contra o governo a ponto de prejudicar o lugar que ele representa, nem “puxa-saco” do governo, ao ponto de não alertá-lo sobre coisas erradas que possam acontecer e ser conivente com tudo. “Sou crítico ao encaminhamento do atual governo, por diversos fatores, mas estive apoiando o atual governo em diversas áreas, quando foi necessário, porque é minha obrigação como deputado. Hoje, concordo muito mais com o plano que é defendido pela candidatura do Lula e do Alckmin, porque é um plano mais próximo da minha origem: sou um cara que mora no bairro, um ex-engraxate”, justifica.

Confira a entrevista de Aliel Machado (PV) sobre o tema:

D’Ponta News